Experiência e Juventude

Olá, amigos do nosso querido GPTotal.

Tivemos muitos acontecimentos desde a última coluna aqui no GPTotal falando sobre NASCAR, quando relembramos duelos bastante agressivos, porém, desta vez, falarei sobre os duelos entre os velhos leões da categoria e os jovens filhotes, a cada dia mais afiando suas pequenas garras.

Há pouco mais de três semanas, quando foi anunciado que Dale Earnhardt Jr. ficaria afastado da prova de New Hampshire, um novato foi chamado para seu lugar. Alex Bowman, que correu algumas provas na equipe de Dale Jr., na XFINITY Series, guiou o carro 88, chegando em um modesto 26º lugar.

Até então não se sabia por quanto tempo Dale Jr. ficaria afastado, porém, com a proximidade da prova seguinte, em Indianápolis, um boato tomou conta de qualquer conversa envolvendo a categoria. Nada mais nada menos do que Jeff Gordon estava sendo cotado para pilotar o carro de número 88. Gordon se aposentou no ano passado, tendo participado das transmissões da TV Norte Americana como comentarista, durante a primeira fase da temporada 2016. Gordon se mostrou bastante feliz com seu novo posto e foi acolhido muito bem pelos companheiros de cabine.

Enfim, o boato deixou de ser boato. Como o maior vencedor da pista de Indianápolis, Gordon retornaria à pista onde demostrou toda sua capacidade e velocidade, se tornando um dos maiores vencedores da categoria e um dos mais aclamados pilotos de todos os tempos. Dessa vez, porém, Gordon estaria longe do seu velho companheiro, o carro de número 24, hoje pilotado pelo jovem Chase Elliott. A corrida por si só já seria cheia de eventos, já que era a última corrida de Tony Stewart em sua pista “de casa”, ele que também vai se aposentar no fim deste ano.

Gordon deu entrevistas onde se mostrou surpreso com o convite do seu antigo patrão, Rick Hendrick, mas que, por tudo o que a equipe havia feito por ele, jamais recusaria um chamado de seus antigos companheiros. E lá foi ele, pilotando um carro que não era o seu, mas demonstrando a categoria de sempre. Gordon teve que ser lembrado para não confundir a posição de parada nos boxes e mirar na posição do carro 88, e não no número 24, onde se acostumou a parar durante toda sua carreira.

Toda a experiência se fez presente, e apesar de estar um pouco enferrujado, se mostrando até um pouco nervoso nas primeiras voltas, Gordon fez uma corrida bastante boa, evitando confusões e fechando a corrida em um excelente décimo terceiro lugar. Gordon estava há mais de 6 meses afastado do carro e deu um belo exemplo de dedicação em sua volta não programada, chegando inclusive na frente do seu companheiro de equipe, Chase Elliott, que pilotava o seu antigo carro número 24. Pra completar com chave de ouro, ao fim da prova, na volta de retorno aos boxes, Tony Stewart convidou o antigo rival e amigo para uma última volta para saudar os fãs. Uma cena emocionante de se ver. Bravo, Tony!

Vídeo da volta final de Stewart e Gordon
httpv://www.youtube.com/watch?v=2YJeW0PEqSg

A volta do experiente Jeff Gordon foi comemorada com muito entusiasmo por antigos fãs, mas o título da coluna também fala sobre a juventude, então vamos falar sobre o que eles estão fazendo na NASCAR, destacando a vitória de um desses “garotos” presentes na categoria.

A prova no tri-oval de Pocono deveria ter acontecido no último domingo, mas na verdade aconteceu na segunda-feira, por conta da chuva. De forma totalmente inesperada, e mais uma vez por causa de interrupção causada pela chuva, a prova foi vencida por um jovem piloto, o novato Chris Buscher. O piloto do carro 34 venceu a prova ao permanecer na pista, enquanto os líderes paravam, e foi ai que a sorte brilhou para o garoto. As nuvens negras rondavam a pista e segundo o próprio piloto, foi nesse momento que ele começou a fazer a “dança da chuva”. Deu certo e assim o jovem piloto conquistou sua primeira vitória na principal categoria da NASCAR, a Sprint Cup. Não se engane pensando que foi apenas sorte de principiante. Buscher, é o atual campeão da XFINITY, categoria de acesso à Sprint.

O garoto marcou seu nome na história da categoria, no momento em que um grande campeão retorna para ajudar sua velha equipe. De quebra vai poder dizer que ganhou uma prova em que Jeff Gordon, 5 vezes campeão da categoria, estava na pista. Sem dúvida uma história para contar para os filhos e netos.

Buscher tem a vitória, mas não pontos suficientes para entrar no Chase, lembrando que os vencedores devem estar entre os 30 primeiros na tabela do campeonato para poder participar da disputa pelo título. Hoje o garoto está em trigésimo primeiro, será que ele consegue a tão sonhada vaga? Vamos aguardar.

Resumo da prova e vitória do novato
httpv://www.youtube.com/watch?v=33UpZvtYIY0

A juventude na NASCAR está muito bem representada não só por Buscher, mas também por outros jovens talentos como Joey Logano, que já possui boa experiência na categoria, o garoto prodígio Chase Elliott, que vem muito bem em seu primeiro campeonato completo e Ryan Blaney, dono do carro 21 e que já fez grandes demonstrações de talento na pista, mesmo não correndo por uma grande equipe.

O próprio Gordon teve seu momento de Juventude vs. Experiência, em sua primeira corrida na categoria principal.

A estréia da jovem promessa, no ano de 1992, na pista de Atlanta, marcou a última prova da lenda Richard Petty. O maior vencedor da NASCAR com sete títulos e 200 vitórias se retirou e abriu espaço para a chegada de um dos melhores e mais adorados pilotos da categoria.

A mescla entre a experiência e juventude é ótima para os torcedores e organizadores, afinal, quem não gosta de um jovem que já aparece incomodando os velhos leões? No mundo das corridas temos diversos exemplos: Emerson Fittipaldi, Ayrton Senna, Michael Schumacher, Fernando Alonso, Sebastian Vettel, Max Verstappen, Valentino Rossi, Marc Marquez, o próprio Jeff Gordon, e tantos outros. Mas é claro que sempre teremos os torcedores que valorizam a experiência.

Para nós, torcedores, é sempre motivo de comemorar. Queremos mais é ver essa disputa.

No campeonato não temos grandes mudanças, mas as vagas para o Chase estão ficando escassas, já que as preliminares estão acabando. E pra você, quem deve entrar e quem deve ficar de fora da disputa? Torço pelos novatos Elliott e Blaney, para dar uma misturada com os grandes pilotos já garantidos no Chase.

Grande abraço e até a próxima.

Rafael Mansano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *