Um ano de grandes expectativas!

Olá amigos!

O ano de 2017 mal começou no automobilismo mundial e já temos diversas novidades e notícias surpreendentes no mundo da NASCAR. Em apenas um mês tivemos a apresentação do novo patrocinador principal da categoria, a aposentadoria de um piloto, um ex-campeão voltando a vencer e novas regras sendo anunciadas, só pra citar as principais.

Na tentativa de trazer uma nova imagem para a categoria e atrair um público mais jovem, a NASCAR anunciou a chegada da empresa de bebidas energéticas Monster Energy, que irá dar nome à categoria principal. O anúncio empolgou muita gente, incluindo os pilotos, que esperam uma nova dose de energia e rejuvenescimento da base de fãs. O novo nome é comprido, mas com certeza também bastante atrativo para a juventude: Monster Energy NASCAR Cup Series. Legal, não?

A Monster Energy já patrocinava alguns carros da categoria principal e também da categoria de acesso, porém, aumentou seu investimento entrando de cabeça na categoria como patrocinador principal, no que parece uma disputa “à distância” com a Redbull, empresa de energéticos com apelo bastante esportivo. Essa disputa deve ser bastante benéfica para os fãs de automobilismo no geral, vamos aguardar os resultados.

Imagem Separador Parágrafo

Assim como na F1 também tivemos um anúncio inesperado de aposentadoria na NASCAR.

Carl Edwards, piloto do Toyota Camry #19 da Joe Gibbs, anunciou que irá pendurar o capacete em uma coletiva logo no começo do ano, surpreendendo toda a comunidade da categoria, desde pilotos, chefes de equipe, imprensa e principalmente, os torcedores. Edwards perdeu o título da temporada de 2016 após uma batida com o Joey Logano, nas últimas voltas dá corrida de Homestead. Foi a segunda vez que o piloto do carro 19 perdeu um campeonato na reta final. Muitos alegam que a derrota mexeu bastante com o piloto, sendo um dos principais motivos para sua precoce aposentadoria, porém em entrevista coletiva, o piloto disse que queria parar enquanto estava saudável, que achava que tinha conseguido muitas conquistas em sua carreira, e que também gostaria de passar mais tempo com sua família.

O fato é que a aposentadoria repentina abriu vaga em uma das equipes mais fortes da categoria, a Joe Gibbs. Mas a equipe não demorou para anunciar o substituto de Edwards. Em 2017 o carro número 19 será guiado pelo atual campeão da Xfinity Series, o mexicano Daniel Suarez. O jovem piloto terá a oportunidade de mostrar seu valor em um dos principais times da categoria. Sem dúvida uma chance de ouro.

Daniel Suarez representa uma minoria latina na categoria, levantando uma bandeira bastante importante nos tempos atuais dos Estados Unidos. Assim como Kyle Larson, ele faz parte do programa “Drive for Diversity”, que apoia minorias e os ajuda a fazer parte da NASCAR. O início de sua carreira aconteceu no kart, em 2002, onde venceu alguns campeonatos até mudar de categoria, indo correr de Mini-stocks, categoria da NASCAR, no México. Em 2014, Suarez fez sua estreia na Xfinity Series, sendo selecionado pela equipe de Joe Gibbs, e no ano seguinte participou de todo o campeonato, sendo corado com o título, em 2016. O jovem mexicano tem 25 anos, conquistou 3 vitórias na Xfinity Series, 44 Top tens e 6 Pole Positions.

Imagem Separador Parágrafo

Outro jovem talento que está embarcando na categoria principal da NASCAR é Erik Jones, que será companheiro de Martin Truex Jr. na equipe Furniture Row, que agora terá dois carros disputando a temporada de 2017. Coisas boas podem vir dessa equipe, vamos ficar de olho.

A equipe Stewart Hass do agora aposentado Tony Stewart, traz duas novidades para 2017: assumindo o carro 14 estará Clint Bowyer, grande amigo de Tony. Para a nova temporada o time passará a contar com carros da Ford, ao invés dos Chevrolet.

O piloto Greg Biffle também anunciou que está saindo da equipe Roush Fenway, depois de 19 anos, porém ainda não anunciou o que vai fazer em 2017. Aparentemente não foi algo muito planejado, então as opções estão bastante escassas.

Imagem Separador Parágrafo

Por falar em pilotos aposentados, Jeff Gordon voltou a vencer uma prova, depois da sua saída da categoria principal, em 2015. O quatro vezes campeão da NASCAR e um dos maiores nomes da categoria disputou a Rolex 24h de Daytona, na tradicional pista norte-americana. Em uma dura batalha na prova de longa duração, o time de Gordon conseguiu manter um bom ritmo durante toda a corrida, e na disputa mano a mano contra o piloto português Filipe Albuquerque, na categoria de protótipos, a batalha acabou em um toque, que para muitos foi um pouco duro, mas que na minha opinião, foi um toque de corrida.

Imagem Separador Parágrafo

Estou lendo a biografia autorizada de Jeff Gordon, que comprei em novembro de 2016, e já me dei conta de que ela está desatualizada, já que não mostra a mais nova conquista do piloto americano.

O cara é realmente fora de série, recomendo a leitura pra quem quer saber mais sobre sua fantástica carreira. Quem quiser comprar, procure aqui.

Imagem Separador Parágrafo

Em uma das coletivas mais esperadas do ano, a NASCAR anunciou novas regras para as corridas de 2017.

O novo formato irá dividir as corridas em três fases, e a duração de cada fase vai depender da pista onde a corrida será disputada.

Ao fim da primeira fase, os 10 primeiros colocados irão ganhar pontos de campeonato e o vencedor da primeira fase ganhará um ponto bônus para os playoffs, se ele estiver classificado no fim da temporada regular e início dos Playoffs. Uma bandeira amarela será dada ao fim da primeira fase, para que os carros sejam realinhados e a fase 2 tenha início. As regras da fase 2 são as mesmas da fase 1.

No final da fase 3 a bandeira quadriculada será agitada e todos os carros receberam pontuação de campeonato. Para o vencedor, a classificação automática para os playoffs e mais cinco pontos bônus.

Ao fim de cada fase, as equipes poderão fazer paradas nos boxes para troca de pneus e reabastecimento.

Mesmo com o formato novo, ainda teremos os mesmos critérios na temporada regular, onde serão disputadas 26 provas e os dez primeiros colocados receberão pontos bônus para os Playoffs.

No início da fase de eliminação, os 16 pilotos classificados para a disputa do campeonato receberão 2.000 pontos a mais, para dividir claramente quem vai disputar o título dos demais. Os pontos de cada fase das corridas, recebidos pelos 10 primeiros colocados, serão cumulativos até a penúltima etapa eliminatória. Apenas na última corrida, em Homestead-Miami, os quatro primeiros colocados terão seus pontos equalizados para disputa do campeonato.

O novo formato recebeu apoio dos pilotos e também de ex-pilotos, como Jeff Gordon, porém ainda precisamos ver na prática como tudo vai funcionar. A NASCAR espera mudanças na estratégia e corridas mais agressivas, mas só o tempo dirá se isso realmente vai acontecer.

Vi muitos comentários de torcedores, nas páginas da categoria em rede sociais, dizendo que as constantes mudanças de regulamento acabam afastando os fãs mais conservadores, mas eu acredito que se a corrida for boa, os fãs estarão lá.

Imagem Separador Parágrafo

O ano está só começando mas a expectativa já é alta na esperança por boas corridas. No fim do mês já teremos a grande prova de Daytona, um prato cheio pra quem quer ver os carros acelerando novamente.

Quem vocês acham que vai levar o campeonato esse ano? O novo formato vai embaralhar as cartas? Os principais times vão se manter na ponta ou algum azarão pode aparecer na disputa e levar o título? Vamos acompanhar esse ano de grandes mudanças!

Grande abraço e até a próxima coluna.

Rafael Mansano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *