É por isso, Suzuka…

O grande recorde de Senna
23/09/2015
Queda de braço desigual
28/09/2015

É triste pensar, sem Bianchi e sem notícias de Schumacher, voltamos ao Japão!

Sem termos tempo para pensar e refletir sobre o que aconteceu em Cingapura, o circo desembarca no Japão para sua tradicional corrida em Suzuka.

Faltam só dois meses para o campeonato acabar, só mais 6 corridas em um calendário apertado de 10 finais-de-semana.

Suzuka vem para responder questões que surgiram em Cingapura e também para nos lembrar com saudades daqueles que não estarão na pista esse ano…

Saudades do motivo real de gostarmos da F1, para lembrar ao Tio Bernie, ao Grupo Técnico/Estratégico que pilotos em carros que desafiam o limite são mais apaixonantes do que quilômetros por litro.

Separador

Voltamos ao Japão, palco de tantas disputas épicas de títulos, de tantas madrugadas decisivas para nós aqui do Brasil, e que agora também nos trás a lembrança do jovem Jules.

Já passamos por uma temporada inteira do seu terrível acidente nessa pista. O acidente da ganancia (em não antecipar a corrida por conta de acordos comercias) e da estupidez (de não ter safety car com um trator na pista). A cara da Formula 1 dos anos 2010. Sua marca registrada.

Ninguém punido. Ninguém tomou aquela decisão. Ninguém é responsável.

A única coisa assumida é dor que passa sua família, amigos e companheiros de F1. A F1 tacanha e insensível, a F1 que não permite uma bandeira no pódio, só liga para seus contratos e esquece dos seres humanos.

Além de Jules, a ausência de Schumacher. Ausência sentida no paddock e ausência de notícias dele também deixam saudades daquele que foi o maior vencedor nessa pista. Hoje era dia para encontrar o cara que venceu 6 vezes em Suzuka e vê-lo distribuir autógrafos. Ao contrário disso, só sabemos de Schumacher por tabloides, fofocas, boatos. E as notícias não são boas, está ausente da realidade, sem se comunicar direito, em uma cama.

Suzuka hoje carrega as dores de uma época que a F1 resolveu se fechar na sua tecnologia e o mundo a sua volta resolveu ser mais humano.

Separador

A continuidade de Jenson Button na F1 começa a tomar ares de novela mexicana.

Na saída de Cingapura o inglês avisou para todo mundo que não havia prazer em se arrastar no fundo do grid e que uma decisão sua havia sido tomada. Mais do que depressa a F1 escalou o rapaz para sua coletiva de imprensa no Japão. O que Button tinha para dizer? Nada. Absolutamente nada. Nas palavras do Bretão: “Estamos em boas conversações, a equipe e eu. É isso aí. Há tantas possibilidades do que poderia acontecer no próximo ano. Assim, muitas possibilidades. Eu não tenho mais nada para vocês.

Esclarecedor.

Aos 35 anos, sair da F1 não parece um problema para Button. Pelo que ele deixa transparecer em suas declarações para a imprensa, não há obsessão por números de títulos antes da aposentadoria, números de gps disputados, etc… Facilmente pode encontrar um carro competitivo em outras praias.

Nessa novela, só acharia mais interessante se ele e Alonso pedissem as contas lá no escritório do Ron Dennis e fechassem com a Porsche para Le Mans. É um sonho, quase um delírio, mas ia ser muito divertido ver um trio Webber/Button/Alonso nas famosas 24 Horas, se divertindo e mandando uma banana para F1 e o Sr Bernie.

Separador

A gloriosa equipe Mercedes vem para a pista depois de um colossal vexame em Cingapura. Será que a nova regra para aferição da pressão dos pneus fez a maionese desandar para o time prata? Duas corridas, dois abandonos, também não ajudam no cenário. É o momento de mostrar força desde o primeiro treino para aniquilar qualquer dúvida em relação ao título. E Rosberg que se cuide, Vettel está todo animado.

Para o pessoal da Ferrari a glória não poderia ser maior. 3º vitória e dessa vez sem casualidades. De ponta a ponta. Por conta da consistência das regras para 2016, faz sentido desenvolver o carro continuamente, com soluções do bólido do ano que vem. Essa tática deu resultado e estão colhendo os frutos. A equipe agora busca entender como será o comportamento do carro em uma pista com curvas mais rápidas.

Na Red Bull, apesar do excelente resultado, a situação que se encontra o time é completamente oposta a da Ferrari: não há esperança de um bom desempenho na pista de Suzuka. Aqui o motor Renault vai mostrar suas deficiências e deixar o time no meio do pelotão

Separador

httpv://www.youtube.com/watch?v=R1T7IYsRr0I
Uma das imagens mais legais da F1 moderna foi o dia da aposentadoria de Webber no Brasil, sem capacete nas últimas curvas dele como piloto da RBR.

Separador

Pra começar a turma da bagunça, Force India confirmou sua dupla de pilotos para 2016. Um pouco de continuidade para o time que vem, consistentemente, no meio do pelotão lutando por pontos. Não deve ser diferente em Suzuka, ainda mais empurrando seus carros com o motor Mercedes.

Toro Rosso vem para a briga com suas duas jovens estrelas. Mesmo sem potência, os dois meninos mostram um pouco de brilho na categoria. Para essa corrida, devem brigar somente com a Sauber. O time suíço ainda tem o seu novo pacote aerodinâmico como uma incógnita. Para melhorar, Nasr nunca andou na pista e o time não tem um simulador para seu piloto treinar. Vai ser complicado!

McLaren vai passar raiva no Japão e vergonha na frente de casa. As atualizações de carro e motor não resolveram nada. Prometeram que iriam andar uma maravilha no travado circuito de Cingapura e ficaram se arrastando na casa do décimo lugar.

Já o clima de final de feira na Lotus é novamente tema da semana. Fornecedores agora só entregam produtos com o cheque na mão e, para Suzuka, quem não recebeu dessa vez foi o pessoal do frete. Por conta disso, todo equipamento chegou atrasado ao Japão, deixando os mecânicos e pilotos sem ter o que fazer…e um pouco além disso. Como disse Maldonado “É bom ver a hospitalidade que você recebe quando você está ficando sem comida e as outras equipes abrem as portas“, declaração feita logo após ter almoçado no espaço da Renault.

Pra fechar o grid, como sempre, a querida Manor. No Japão, certamente sua prova mais difícil em sua curta existência. Sem muito a acrescentar sobre seu desempenho em pista, que tenham um pouco de paz e conforto nesse fim-de-semana. Eles merecem todos os aplausos por terem chegado até aqui.

Separador

Há mais de uma dezena títulos decididos no Japão, até um decidido no circuito de Aida (lembram dele?), nos idos de 1995. Naquela época, Schumacher garantiu o título antecipadamente sobre Damon Hill. Ele precisava chegar em quarto e ganhou a prova, largando da terceira posição. Era o segundo campeonato do alemão, uma estrela se firmava.

Mas esse não é o GP do Japão que destaco na memória. Fora a óbvia batalha Prost X Senna, a épica batalha Senna X Prost e a (não) disputa Senna x Mansell, escolhas certeiras quando brasileiros lembram de memória de Suzuka.

Voltamos a 2000.

Suzuka, claro! O primeiro título de Schummy na Ferrari. O primeiro piloto da Ferrari campeão em 21 anos, desde Jody Schekter em 1979. Foi uma corrida difícil, desde a classificação a batalha era intensa entre Häkkinen e Michael. Na corrida o clima variava entre nublado, frio e chuva. Condições onde os melhores da época se destacavam do resto do grupo. A disputa ocorreu até o fim. Michael superou Mika no último pit stop e a vitória que garantiu o título foi obtida com míseros 1.837s.

Schummacher encerrava um trabalho de cinco anos. Foram 5 anos montando um time para chegar nesse dia em Suzuka. Era o fim da “fila” da Ferrari e nada pode ser mais histórico que isso na F1 para uma transmissão mundial, ao vivo, na sua TV.

httpv://www.youtube.com/watch?v=Ffhr_Nx0bl4
A chegada e a festa.

Isso sim é justificativa válida para passar uma madrugada em claro.

Separador

Só para matar saudades, os times de 1995:
Benetton
Williams
Ferrari
McLaren
Ligier
Jordan
Sauber
Footwork
Tyrrell
Minardi
Forti
Pacific
Simtek

13 times, 26 carros, 8 motores (Renault, Yamaha, Mercedes, Hart, Peugeot, Ford, Mugen-Honda e Ferrari).

Separador

A Red Bull e a Toro Rosso estão no jogo que ninguém consegue entender. Chutaram a Renault, não terão motor Mercedes, a Honda não interessa e só querem o motor igual da equipe de fábrica da Ferrari. Se a Ferrari não quiser fornecer, estão fora da F1.

Não é compreensível, para ninguém que conheceu a equipe que chegou toda simpática ao paddock da F1, ter essa postura. A situação é clara: “Bernie, você é nosso refém! Se você não nos arranjar o motor que queremos, vamos sumir com 4 carros do seu grid.

Espero que alguém conte, algum dia, em alguma biografia ou no Wikileaks, o que realmente aconteceu com a equipe e qual é o teor desse plano que botaram em prático esse ano.

Separador

Gene Haas mandou avisar, site novo no ar (acesse aqui) e anúncio dos pilotos no dia 29 de Setembro! Grosjean? Gutierrez? Vergne? Rossi?

Quem vem para pista em 2016?

Separador

Mais uma polêmica surge no nosso querido campeonato. A bola da vez são os grandiosos túneis de vento.

Na linha de redução de custos prometida, algumas equipes chegaram com a sugestão de acabar com o túnel de vento na F1 e transferir tudo para o CFD, aquela maravilha tecnológica que desenvolveu o primeiro carro da Marussia, lembram?

A questão faz sentido. O custo mensal de operação de um equipamento desses gira em torno de 1 milhão de libras e a tecnologia do CFD evolui muito rápido. Dois problemas surgem no caminho. O primeiro é que há hoje uma regra que limita a capacidade computacional permitida, claramente você não poder ter os computadores mais modernos disponíveis. Isso precisa ser mudado. Segundo, o que fazer com as equipes que acabaram de construir ou atualizar seus gigantescos tuneis de vento? Fecha tudo? Joga fora?

Algumas equipes pedem uma definição rápida (principalmente as que estão defasadas) para poderem fazer o planejamento financeiro dos próximos anos. Nem a favor, nem contra, Eric Boulier da McLaren é um dos que cobra urgência na decisão. Seu time está com o equipamento defasado (o que pode explicar os problemas do carro desse ano) e tem na mesa um plano de reconstrução do túnel que custa em torno de 35 milhões de libras. Fazer essa obra agora, sem uma definição pode ser um erro fatal para um time que vem sofrendo para captar dinheiro.

Separador

Os problemas dos carros atuais estarem mais lentos que seus antecessores não atinge somente a F1.

A Indy voltou a Road America (o lindissimo circuito de Elkhart Lake) para um teste preparatório para a corrida prevista para 2016. Dixon levou seu DW12 a completar uma volta em 1:43.002. Bourdais em 2007 levou seu Panoz DP01 a completar a volta em 1:41.535.

Separador

Curioso como um ano depois a percepção da F1 muda. Ano passado, nesse mesmo GPTotal, a dúvida era o que Alonso deveria fazer. Vettel estava sob contrato da Red Bull, era o caso de esperar? Se Alonso saísse, por que não testar na Ferrari as promessas Bianchi, Hulkenberg e Romain Grosjean? Por que não Vergne?

É triste pensar que isso foi só um ano atrás…e não há mais Bianchi.

Separador

Não há vontade de comentar a nova regra de pneus proposta para 2016. É de uma complicação sensacional.

Vamos tentar, mas por partes. Primeiro, a Pirelli vai fazer um pneu a mais, serão 5 compostos diferentes (além das duas porcarias para piso úmido – não podemos chamar de pneus de chuva). O novo composto será uma super-super-soft. Esse termo maravilhoso não é criação feita agora, é da própria Pirelli.

Seguindo. A fornecedora oficial vai oferecer um cardápio para as equipes com 3 tipos de compostos por corrida. Um desses compostos é obrigatório, e cada equipe poderá escolher um outro para seus carros. Então, exemplificando, a Ferrari pode vir com Médios e Super-Soft e a Mercedes de Médios e Super-super-soft.

Fácil? Calma, ainda vai melhorar.

Os cinco pneus, durante o ano de 2016, serão nomeados de A a E ou numerados de 1 a 5. Assim as equipes poderão escolher pelo número. Mas para o publico “não se confundir” a nomenclatura será a mesma usada em 2015. Vamos pegar o exemplo já utilizado, tecnicamente a Ferrari virá com pneus 3 e pneus 2, a Mercedes de pneus 3 e pneus 1. Mas par ao grande público – para não confundir, lembre-se – a Ferrari virá de Médios e Super-Macios e Mercedes também virá de Médios e Super-Macios.

Entendeu? Não será brilhante explicar isso durante a corrida? Ainda falta aprovação, vamos ver o que acontece.

Separador

Circuito:Suzuka
Voltas: 53
Comprimento: 5.807 km
Distância: 307.471 km
Recorde da Pista: 1:31.540 – K. Raikkonen (2005)

Separador

Programação
Quinta-Feira:22:00 – 23:30 – 1º treino livre
Sexta-Feira: 02:00 – 03:30 – 2º treino livre e 23h – 3º treino livre
Sábado: 03h – Classificação
Domingo: 02h – Corrida

Separador

Na mesma forma que a coluna do ano passado foi encerrada….

Da nossa sagrada paixão por uma categoria de belos cenários como Suzuka, que fiquemos com a lembrança… deles: Bianchi e Schummacher, nas pistas!

É por isso que amamos a F1.

Que venha o final de semana!

Abraços, Flaviz Guerra – @flaviz

Flaviz Guerra
Flaviz Guerra
Apaixonado por automobilismo de todos os tipos, colabora com o GPTotal desde 2004 com sua visão sobre a temporada da F1.

5 Comments

  1. Mauro Santana disse:

    Bela Coluna Flaviz!!

    Eu espero que as Mercedes tenham problemas novamente, e que o Vettel encoste mais ainda neles, pois aí o campeonato pega FOGO!!

    Excelente GP a todos.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  2. Fernando Marques disse:

    Flavis,

    parece que o mau tempo predominar novamente em Suzuka … e assim o risco de outro mico dos carros da Mercedes paira forte no ar … treinos livres dominado pela Red Bull com o fraco motor Renault deixa a briga em aberto para a corrida. Se chover sei não … poderemos ter outra surpresa …


    Eu gosto muito do traçado do Circuito de Suzuka, que fica a dever muito pouco para SPA … lá tem de tudo … curvas de alta, media e baixa velocidade, retas longas e reta curtas … exige-se muito de freio e motor …

    Para mim a corrida inesquecível foi a dobradinha da Benneton 1-2 no podio com Piquet e Moreno em 1990 … Senna foi campeão mas o que eu curtir mesmo foi a vitoria do Piquet …


    Este papo da RED BULL sair da Formula 1 para mim é um jogo de cartas marcadas. É blefe puro … algo que não acontece na Lotus se a Renault não se tornar a majoritária da equipe …


    Se o Grosjean sair da Lotus para a Haas vai ser um tremendo passo para trás do frances que até a pouco era cotado para estar em grandes equipes …


    Aos poucos a Formula 1 caminha para ser uma categoria monomarca já que só a Ferrari vai ter motor para fornecer as equipes … é a era dos motores Ford de novo na na área …

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Fernando Marques disse:

      Mais uma coisinha … a Familia Schumacher poderia ter um pouco de compaixão para com os fãs do Michael e da Formula 1 em manter atualizadas o quão anda seu estado de saúde … sabemos que ele precisa de privacidade e muitos cuidados especiais mas manter-nos cientes de noticias não atrapalharia em nada a vida dele.

      Não tem como esquecer nesta corrida tudo o que aconteceu com Jules ano passado. E pelo visto com aculpa reciando sobre a maior vitíma daq

      • Fernando Marques disse:

        Mais uma coisinha … a Familia Schumacher poderia ter um pouco de compaixão para com os fãs do Michael e da Formula 1 em manter atualizadas o quão anda seu estado de saúde … sabemos que ele precisa de privacidade e muitos cuidados especiais mas manter-nos cientes de noticias não atrapalharia em nada a vida dele.

        Não tem como esquecer nesta corrida tudo o que aconteceu com Jules ano passado. E pelo visto com a culpa recaindo sobre a maior vítima daquela total falta de bom senso jamais vista .

      • Flaviz Guerra disse:

        Marques, a família nem precisaria nos manter atualizados, mas nenhuma notícia oficial? Poderia fazer um anuncio: “A situação é essa, precisamos de privacidade, se algo mudar avisaremos vocês” E pronto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *