Embalamos para o tri?

O Rato que ruge
24/10/2012
Terceiro estágio
29/10/2012

Na segunda da "Melhor de 5", Vettel embala a 4º vitória seguida rumo ao tri?

Passamos pela 1º prova do mini campeonato “Melhor de Cinco” e chegamos ao circuito da Índia em mais um momento crucial para o campeonato. O famoso “turning point” que pode dar contornos de título para um tricampeão que bate a nossa porta. O defensor do título chega na reta final a frente no campeonato, é o homem a ser batido. Venceu as últimas 3 corridas do campeonato. Venceu a corrida inaugural da Índia no ano passado, é um momento único em um campeonato que até agora foi um dos mais equilibrados da história. Como parar o alemão?

Fernando Alonso tem se perguntado isso, certamente. O seu time de engenheiros promete que o carro vai evoluir com as atualizações trazidas para a pista indiana. Ainda sonha com uma volta a boa forma da McLaren para, quem sabe, tirar uns pontinhos adicionais da RedBull. E, no fundo, no fundo, deve estar torcendo para o Raikkonen ter sua vitória no ano de retorno (desde que ele chegue em segundo, óbvio).

Separador

O circuito indiano é mais uma criação do nosso querido amigo Tilke. O mago das retas extensas e miolos confusos. O rapaz até se esforça e esse circuito – que não é nenhuma joia – não passa tanta vergonha. A receita básica da Malásia, China e Coréia está ali: retões sem fim, cotovelo, vira, desvira, sequencia de curvas, retão, cotovelo. Mas dessa vez Tilke não mandou terraplenar tudo e encontramos algumas subidas e descidas aproveitando as particularidades do terreno. Além disso ele traz sua experiência no desenho da pista da Turquia para criar a boa sequencia nas curvas 10, 11 e 12. Bastante interessante. Como também é típico dos Tilkódromos, o setup dos carros para essa corrida é bastante complicado. Você não pode perder velocidade nas retas e tem que ter um balanço descente para o miolo sinuoso. Prato cheio para carros com boa configuração aerodinâmica e excelente grip mecanico. Não custa lembrar que a reta oposta é a maior da F1 e conta com um ligeiro declive.

Nesse ano a pista terá duas zonas de DRS. Para evitar papagaiadas em geral, serão duas zonas de detecção. Ainda assim acredito que não será vantagem ultrapassar na primeira “zona”. Como diriam os ingleses, você acabará virando um “sitting duck” na zona seguinte para um oponente que certamente estará bem perto de você. Nos treinos, com o DRS liberado, teremos a possibilidade de utilização por 62% da volta, mais ou menos como em Spa.

Para essa pista a Pirelli traz os prateados duros e os amarelos macios. É a mesma combinação de Silverstone, por exemplo. Segundo os engenheiros do time italiano de pneus, a pista tem as mesma características de demanda da borracha que Spa e Japão. Alguersuari (agora piloto de testes da Pirelli) sugere que se você for um bom menino com os pneus pode completar a prova com uma parada só. É bom ficar de olho.

Dois detalhes interessantes podem fazer a diferença também na performance do carro. A pista é muito suja fora do traçado, problema que a organização promete resolver com um novo equipamento de limpeza. A turma indiana comprou um equipamento igualzinho ao que o Bahrein usa para tirar a areia da pista. O outro ponto é poluição do ar. Acredite, os engenheiros da Lotus destacam a integridade dos filtros de ar como ponto chave de monitoramento para essa prova. Deve ser fácil de respirar o ar indiano.

Separador

Acompanhar as entrevistas dos pilotos tem sido uma experiência divertida. Todo mundo acredita que são robôs produzidos pelas assessorias de imprensa, um mito! Corrida passada mostramos uma passagem com o (mito) Kimi Raikkonen, hoje trazemos mais uma do (mito) Kobayashi.

Qual a sua maior fraqueza?
Kobayshi: Eu não gosto de cenouras.

Separador

Para essa prova todo mundo chega com atualizações nos times da frente da tabela. Um campeonato equilibrado assim manteve o foco das equipes no desenvolvimento dos bólidos. Ainda não sabemos quanto isso vai custar no carro de 2013, mas tem deixado a disputa interessante.

A Ferrari veio a público dizer que o problema do túnel de vento não é esse drama todo. Isso acontece sempre com modelos que não usam tamanho real. Um “papinho” bem estranho, na verdade. Por via das dúvidas, pra garantir, no famoso “vai que tá errado mesmo!”, trocaram o local de testes de túnel de vento e mandaram o carro para um teste aerodinâmico em linha reta. Só pra garantir, já que está tudo sob controle! Fato é que o carro precisa evoluir para dar alguma mínima chance para Alonso vencer Vettel sem contar com problemas do alemão.

Massa cresceu na temporada e renovou seu contrato. Merece um parágrafo só dele. Não entendo de verdade a complacência da torcida com Massa. É um fiapo de piloto, assinou para ser segundo e abdicou do direito de vencer. Pra melhorar o cenário prometeu em rede nacional que vai buscar o título que falta, já que é o segundo piloto que mais correu pela Ferrari. Não vou entrar no mérito dos dois anos de desculpas seguidas, travestidas de sinceridade pelo seu tom firme, direto e impaciente nas entrevistas. Meus pneus não aquecem, na última volta o desempenho não veio e temos que verificar, o dia que tomar meio segundo de Alonso me aposento, meus pneus não aquecem, tinha tráfego, me soltaram pra pista na hora errada, meus pneus não aquecem. Tem alguém aqui que grava as entrevistas pós-corridas pra ver quantas vezes ele reclamou do aquecimento de pneus? É bom ele fazer uma temporada excepcional em 2013, senão vai ficar a pé. A renovação por só um ano aponta para uma Ferrari em busca de novas opções para 2014.

O povo da Red Bull mantêm o discurso pé no chão de vencer cada corrida – ou no mínimo chegar a frente de Alonso. Estão na frente e só depende deles levar o título pra casa. Sem muita mágica o carro vem com pequenas evoluções, para continuar mostrando sua força e não animar demais o pessoal da Ferrari.

A McLaren continua seu programa de evolução. Espera não repetir as duas corridas péssimas do Japão e Coreia. Fundamental um bom desempenho na Índia para manter a luta pelo segundo lugar nos construtores e todos os milhões de dinheiros que isso significa. O maior problema é a falta de entusiasmo de Lewis. Já fora da briga pelo título e de mudança, não mostra mais aquele vigor que pode fazer a diferença.

Para a quarta força do campeonato, continuar o desenvolvimento do carro pode colocá-los na briga por um terceiro. Na Lotus as expectativas crescem novamente por mais uma rodada de atualizações. O escapamento novo funcionou e vem com melhorias que reduzem a perda de potência. Além disso uma nova asa dianteira será usada nos dois carros, só Grosjean brincou com a peça nova na Coreia. (Ainda fico surpreso com equipes ‘grandes’ que vão pra corrida com melhorias só em um carro, deve ser uma festa nas equipes menores, né?)

Já a Mercedes, que não deve mais anda pra ninguém, vem testando peças do carro de 2013. O time prata já fala em desenho revolucionário para vencer em 2013. Sei. Tá difícil de acreditar neles!

No box da Sauber, uma avalanche de emoções. A chefona dirige o time pela primeira vez no seu páis natal. Muita alegria. O time perde Perez no ano que vem e precisa que Kobayashi traga algum patrocinador para seguir no carro Suíço. Vida dura de time pequeno. O simpático time tem chances de bater a Mercedes, mas não tem prevista atualizações significativas para seu carro. Não há dinheiro para manter um programa de desenvolvimento no carro de 2012 e fazer o carro de 2013.

Na turma de trás, olho vivo no crescimento da Toro Rosso e se a turma da Williams vai voltar a fazer algo significativo. Senna precisa de 4 boas provas para ter alguma chance de continuar na F1. Mesmo com o bolso recheado ele ainda não convenceu que merece mais anos na F1. Nas nanicas, a batalha continua para ficar com 10º lugar entre Marussia e Caterham. HRT, apesar de ter um piloto indiano está só pensando no que vai fazer pra sobreviver dignamente em 2013.

Separador

Chegamos na segunda prova do mini-campeonato com um match point para Vettel. Mais uma vitória aqui (a quarta seguida) pode mostrar a força de um time imbatível e de um tri-campeonato eminente. Resta a alonso mostrar que a Ferrari está no encalço dele, qualquer erro custará o título do alemão.

Não dá pra perder uma corrida assim! Um campeonato incrível esse de 2012!

Abraços,
Flaviz Guerra – @Flaviz

 

 

Informações da Pista
Dimensão:
5.125 km
Voltas: 60
Distancia:
307.249 km
Volta mais Rápida*:
1:27.249 – S Vettel (2011)
Circuito da India
*Volta mais rápida em corrida
Flaviz Guerra
Flaviz Guerra
Apaixonado por automobilismo de todos os tipos, colabora com o GPTotal desde 2004 com sua visão sobre a temporada da F1.

7 Comments

  1. Mauro Santana disse:

    Vettel pode ser o primeiro tricampeão de verdade, com três títulos seguidos.

    Num passado mais recente, me vem a cabeça o nome de Mika Hakkinen, que em 2000 poderia ter conquistado três títulos em sequência, que seriam 1998, 1999 e 2000.

    Alonso é o melhor piloto na atualidade, porem, o melhor carro na atualidade é a RBR.

    Portanto, veremos agora neste final de campeonato, como diz aquele ditado, quem tem mais garrafa vazia pra vender.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

    • Fernando Marques disse:

      Mauro,

      a RBR possui no momento o melhor conjunto carro/piloto, é importante frisar isto …

      Fernando Marques
      Niterói RJ

    • Mauro Santana disse:

      Eu discordo Fernando.

      Na minha opinião, o Alonso é o melhor piloto, e a RBR o melhor carro, pois quando a RBR não esteve bem, Vettel não conseguiu grande destaque.

      Ao contrario do Alonso, que já vem carregando a Ferrari nas costa a três temporadas.

      Vettel tem muito ainda pra mostrar quando o seu conjunto não esta bem.

      Abraço!

      Mauro Santana
      Curitiba-PR

    • Fernando marques disse:

      Mauro,

      ninguém é bicampeão a toa … o Vettel tem o seu valor e por mais que Alonso demonstre toda a sua categoria, o conjunto RBR/Vettel no momento supera o conjunto Alonso/Ferrari … fora isso o Vettel soube ao longo da temporada somar pontos importantes para que neste momento pudesse alcançar a liderança do campeonato

      Fernando MArques
      Niterói RJ

  2. Rodrigo Felix disse:

    Estou prevendo que a sorte de Alonso ainda aparecerá, pois em condições normais, o título já é de Vettel. Essa sorte recai sobre alguma quebra do alternador (ou motor Renault) em mais alguma prova.
    Vale lembrar que se Vettel não tivesse abandonado em Valência e Monza, já estaria liderando o campeonato com folga.

  3. Fernando Marques disse:

    Vamos ver se a Ferrari tem um coelho escondido na cartola para o Alonso tentar virar o jogo.

    Fernando Marques
    Niterói RJ

  4. Tassio Bruno Silva disse:

    Um dos textos mais engraçados do ano e uma ansiedade imensa pra ver a corrida.
    Abraços e parabens Flavio. Esse Koba é msm um genio, rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *