Inacreditável, Bahrein.

Ele é mesmo tudo isso?
17/04/2013
Imperdoável, Bahrein
22/04/2013

A vontade inicial dessa coluna era escrever uma receita de bolo. Inacreditável, estamos às vesperas de mais uma corrida no Bahrein.

É inacreditável. “Olha, é inacreditável.”. diria Cleber Machado como na narração do papelão austríaco onde Rubens cedeu a posição pra Schumacher.

Em 2012, foi assim que começou o preview da corrida no Bahrein. 2013 não poderia ser diferente. Sem tirar nem por, sem ressalvas, sem arrependimentos pelas linhas escritas, continua inacreditável o fato dessa pista fazer parte do calendário.

As notícias vindas do mundo árabe ainda são contraditórias. Jornalistas chegam e dizem não haver um clima de tensão pelo caminho. Outros, hospedados em vilas mais distantes, dizem que os protestos estão espalhados pela periferia. Um carro bomba explodiu, 100 manifestantes presos, mas tudo fora da linha da visão da F1 atual.

Um grupo de parlamentares britânicos pediu para Bernie Ecclestone cancelar a corrida esse ano. Argumento básico era o fato da F1 só ter corrido depois do governo local ter decretado Lei Marcial na semana da prova. Não foram atendidos. O cinismo de Bernie Ecclestone nos presentei com um “agora é tarde para atender esse pedido”. E continua a falar “Não queremos ver problemas. Não queremos ver pessoas lutando por coisas que não entendemos, porque realmente não entendemos…”

Precisamos ir tão longe para ver o circo?

Separador

A vontade inicial dessa coluna era escrever uma receita de bolo. Com cobertura e tudo. Podem pedir nos comentários.

Separador

Bom, já sabemos que o mandatário da categoria não tem bom senso. Vamos ouvir uma palavrinha das equipes?

Ferrari em declarações capturadas pelo pessoal da AUTOSPORT: “A FIA deve indicar se precisamos tomar medidas adicionais de segurança. Até agora, nada”.

Force India, a cereja do bolo, na mesma AUTOSPORT: “Pode haver, mas menor e, tomara que não alcance a Force India”. Sobre o que falavam? Lembre-se, Force India foi a equipe que abandonou um treino livre ano passado, para voltar ao hotel antes de anoitecer e não presenciar uma repetição da explosão que assustou seus mecânicos.

Monisha Kaltenborn foi ainda mais impressionante e disse que a cobertura da mídia foi exagerada em 2012. Tá tudo certo. Apesar do time dela ter sido cercado por protestantes mascarados em 2012. Ela se sente perfeitamente segura.

Continuo com a impressão que é tudo inacreditável.

Separador

Bahrein, na F1 desde 2004 com um ano de intervalo, 2011. Circuito do querido Tilke. Suntuoso. Ar-condicionado. Palmeiras. Tendas. Chão de mármore. A corrida se desenrola em 5.412 m distribuídos em 15 curvas. Duas grandes retas, duas zonas de DRS para esse ano.

Em 2010 algum gênio teve a idéia de usar o circuito em sua versão estendida, com 24 curvas. Foi um teste de paciência que durou 49 voltas.

httpv://youtu.be/ofzrOiG2zPY

Para os engenheiros o grande problema fica por conta da temperatura que, sempre elevada, obriga uma revisão nos sistemas de arrefecimento e prejudica a eficiência aerodinâmica dos carros. A pista demanda muito torque e tração e os pilotos ficam de “pé em baixo” por cerca de 50% da volta. Um ponto de preocupação é o sistema de freio. Sofre com o calor e com a areia.

Os pneus também sofrem com o calor e com o excesso de areia na pista no começo de cada sessão. A Pirelli havia comunicado as equipes na Malásia que os pneus mudariam para a prova do Bahrein. Não seria possível correr com os macios e duros. Trouxeram para a prova os médios e duros. Sensação de alívio depois do que foi visto no GP da China.

Separador

A dupla da Ferrari adora essa pista. Massa ganhou duas vezes. Alonso três. Tirando os dois, saíram vitoriosos desse GP Vettel (2012), Button (2010) e Schumacher (2004).

É de se esperar um bom ritmo dos vermelhos nessa pista. A Red Bull tenta deixar para trás a atuação confusa e atrapalhada da China. Vettel chegou em 4º em uma estratégia arriscada, Webber ficou sem combustivel no treino, bateu, perdeu 3 posições no grid desse final de semana e ainda perdeu uma roda pelo caminho.

O time da Mercedes esperava lutar pela vitória na China e só conseguiu terminar com um terceiro lugar. Pra piorar, Nico só terminou 2 corridas até agora. Precisam achar alguns décimos de velocidade e fazer que os carros durem até o fim.

A Lotus veio para 2013 só com Raikkonen. Grosjean não bate (em) ninguém. Fora das pistas o finlandês continuam sendo a atração do ano. Todos reclamam dos pneus? Pra ele não precisa mudar, são iguais para todos e as corridas não mudaram tanto assim nos últimos 10 anos. Para Kimmi, você pode fazer a corrida toda em ritmo de classificação, é só trocar de pneus mais vezes e pronto. Não importa, decida o jeito mais rápido de terminar a corrida e reclame menos.

Na turma do meio, Williams continua sua espiral decendente. Comemoram como gol em fim de copa do mundo o fato de Bottas ter terminado todas as corridas. Forte candidata a fazer parte da turma do fundão no resto do ano. Force India e Toro Rosso parecem querer se manter na frente desse grupo, com a Sauber um pouco para trás, sentindo a falta do seu engenheiro que criou o carro de 2012.

A Catherham está em dúvida, não sabe se o carro é ruim ou seus pilotos. Para fazer o tira-teima convocaram Heikki Kovalainen para participar dos treinos livres das próximas duas corridas. Desespero total. A Marussia vai fazer a jogada errada do ano. Rodolfo Gonzalez assume o carro do Bianchi no primeiro treino. O cheque de Max Chilton deve ser muito grande mesmo.

Separador

Informações da Pista

Circuito: Bahrain International Circuit
Voltas: 57
Comprimento: 5.412 km
Distância: 308.238 km
Recorde da Pista:
1:30.252 – M Schumacher (2004)

Programação

Sexta-Feira
4h – 1º treino livre
8h – 2º treino livre

Sábado
5h – 3º treino livre
8h – Classificação

Domingo
9h – Corrida

Separador

Reforço o convite aos amigos leitores para acompanhar nosso Facebook. Além de notícias e curiosidades diárias, estamos até o fim do mês com o especial relembrando as 41 vitórias de Ayrton Senna na F1. Tá imperdível de verdade! Fiquem de olho!

Separador

Sem grande mudanças nos carros, as forças dessa temporada só serão influenciadas pelas características do circuito. Três vencedores em três corridas, quem será o quarto?

Boa Corrida!

Abraços, Flaviz Guerra – @flaviz

Flaviz Guerra
Flaviz Guerra
Apaixonado por automobilismo de todos os tipos, colabora com o GPTotal desde 2004 com sua visão sobre a temporada da F1.

8 Comentários

  1. Rafael Carvalho de Oliveira disse:

    Bom, o que da ha entender é que enquanto não acontecer nenhuma tragédia esta tudo certo. Sabe quando Bernie Eclestone vai cancelar o GP do Bahrein? Nunca! Imaginem o tanto de dinheiro ele perderia? Os árabes estão pagando caminhoes de dinheiro pela realização da corrida no país, sem contar dinheiro de patrocinadores e redes de televisão! As equipesa poderiam ajudar no boicote do GP, como fizeram no GP da Africa do Sul mos 80 contra o aperteid. Mas como a F1 de hoje esta menos humanista e mais mercenaria, jamais veremos atitudes como esta acontecer de novo. As vezes penso que as equipes são refens de Eclestone em certos momentos como este. Esta parecendo quando começa os campeonatos estaduais e o brasileiro que é uma chiadeira só, por causa do calendario mas na hora de assinar os termos para o ano seguinte ninguém pensa nisso e no meio dos eventos os clubes criticam a detentora dos direitos de transmissão. Se as equipes sabem do conflito, porque que aceitam o GP do Bhrein no calendarios? As equipes não tem boca pra falar? Bernie Eclestone é mais forte que as escuderias? Se não esta tendo bom senso do mandatario da F1, as equipes também não estão tendo nenhum cuidado com o que pode acontecer. Se esta acontecendo no Bahrein ainda é mais culpa das equipes e não Eclestone porque ele esta pouco se lixando para o que esta acontecendo!

    Fica minha opinião.

    Um abraço a todos.

    • Lucas dos Santos disse:

      Rafael,

      Respondendo apenas uma das suas questões, sobre se o Bernie Ecclestone seria mais forte do que as escuderias, eu diria que aparentemente sim. Mas ele só não é mais forte que a Ferrari.

      Se qualquer uma das escuderias chegar para ele e disser “se houver GP no Bahrein nós nos retiraremos da F1”, provavelmente ele vai dizer “já vai tarde”. Mas se a Ferrari chegar a ele e fizer a mesma ameaça, é muito provável que ele cancele a corrida imediatamente, pois, segundo ele, Fórmula 1 sem a Ferrari não é Fórmula 1. Lembram daquela confusão por conta do teto orçamentário? E teve mais um evento em que Bernie deixou claro que a Ferrari é a equipe mais importante para ele, que eu não consigo me recordar no momento.

      Enfim, acredito realmente que as equipes – com a exceção da Ferrari – não têm força para irem contra o Bernie.

      • Rafael Carvalho disse:

        O pouco que eu vi deste livro é que algumas equipes tem o rabo preso com ele por causa das marmeladas certo?

    • Mauro Santana disse:

      Rafael

      Recomendo a leitura “Não sou um anjo”.

      Abraço!

      Mauro Santana
      Curitiba-PR

  2. Fernando Marques disse:

    Politica a parte o fato é que vai ter corrida no Bahrain e ela conta pontos para o Mundial …
    Torço para o Hamilton e Raikkonen …

    Fernando Marques
    Niterói RJ

  3. Mauro Santana disse:

    Correto, 2010!

    Aquela corrida em que o Massa já de cara facilitou a vida do Alonso na Largada, como muito bem descreveu o Edu em sua coluna “O novo brasileirinho”.

    http://gptotal.com.br/2005/Colunas/Eduardo/20100730.asp

    Abraço!

  4. Flaviz disse:

    Mauro, o Endurance foi usado em 2010. 2011 nao teve corrida.

    Abraços

  5. Mauro Santana disse:

    Em 2011 foi utilizado o Circuit–Endurance, e na boa, seja o traçado que for, Bahrain deveria ser riscado do calendário, mas…

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-Pr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *