Massa e o diabo

Disputa territorial
07/04/2014
Reparação histórica
11/04/2014

Felipe Massa não acatou a ordem da Williams. Será que isso foi realmente bom pra ele?

Diz um ditado popular espanhol que: “Mais sabe o diabo por ser velho do que por ser diabo!“. Como todos os ditados populares, este também encerra uma profunda verdade e nos brinda algum ensinamento muito útil para a nossa vida cotidiana. Neste caso, a mensagem que subjaz diz respeito ao enorme valor da experiência e aos conhecimentos adquiridos ao longo da vida que, em definitiva, acabam sendo muito mais importantes do que a condição própria de cada um. Afinal, a aquisição de experiência não depende apenas daquilo que nos acontece, mas daquilo que fazemos com o que nos acontece e dos resultados das decisões que tomamos, assim como das conclusões às que chegamos.

No passado GP da Malásia, tivemos ocasião de presenciar uma situação que nos era bastante familiar, pois tinha como protagonista a Felipe Massa. Como já havia ocorrido em ocasiões anteriores, a Massa, se lhe “informa” que seu atual companheiro, Valterri Bottas, era mais rápido do que ele, numa clara alusão a que devia dar passo ao finlandês. Porém, nesta ocasião o brasileiro, ao contrário do que sempre havia feito anteriormente na Sauber e na Ferrari, desobedece a ordem e se mantem à frente.

Como era de se esperar, o lance acabou gerando a habitual polêmica em torno às ordens de equipe. Por um lado, tínhamos os que defendiam a atitude de Massa em base à sua condição de piloto e à vontade própria de chegar na frente de um competidor, enquanto que, pelo outro, estavam aqueles que recordavam que Massa, em último termo, é um empregado da equipe e, portanto, deve sempre se submeter às suas exigências.

Em minha coluna do ano passado – Individuo VS Equipe – (curiosamente, também sobre um episódio similar acontecido na Malásia) já deixei clara minha opinião ao respeito de qual deve ser o comportamento do piloto nestes casos, portanto não vou repeti-la agora. Contudo, creio que nesta ocasião concorrem algumas particularidades que não foram comentadas e que me parecem destacáveis e tornam este incidente um pouco diferente.

Em primeiro lugar, como disse Claire Williams, para a equipe o mais importante é conseguir o máximo possível de pontos no campeonato de construtores, pois isso tem uma direta relação com o dinheiro que recebem no fim do ano. Tendo isso em mente, me parece lógico que, se há uma ocasião de conseguir esses pontos, se faça tudo para consegui-los. Segundo o engenheiro Rod Nelson, o motor do carro de Massa, estava trabalhando a uma temperatura muito alta, o que lhes preocupava bastante. Além do mais, Bottas vinha com pneus mais frescos que os de Felipe e os de Jenson, o que lhe dava, durante duas ou três voltas, uma momentânea vantagem que era conveniente aproveitar. Mas a negativa de Massa a ceder a posição a Bottas, privou o finlandês dessa vantagem e da possibilidade de atacar Button.

Porém, e deixando de lado todas as condicionantes técnicas do assunto, ao meu modo de ver, creio que a decisão de Massa não foi muito inteligente. Pelo menos não a que eu esperava de alguém com seus anos de experiência. Sabido é que a Williams sempre deu prioridade à equipe sobre o piloto e que, para eles, o campeonato de construtores é mais importante que o de pilotos. Portanto, agora que a equipe não se encontra no seu melhor momento, a busca de pontos (dinheiro) é ainda mais essencial e Massa devia ser consciente disso, ou acaso é tão ingênuo de pensar que na Williams vai disputar o titulo?

No meu ponto de vista, a decisão mais inteligente de Massa, teria sido deixar Bottas passar, o que lhe teria deparado com alguns possíveis cenários favoráveis aos seus interesses:

1º – Ao deixar passar Bottas, Massa despejava qualquer dúvida respeito ao seu compromisso com a equipe e o bem comum, algo sempre muito bem apreciado. Porém, sua negativa, por muito que brasileiro depois dissesse que “eu faço tudo o que posso para ajudar a equipe“, semeia dúvidas a esse respeito e temo que pode ter suas consequências para o futuro, pois Massa, ao agir assim, se colocou numa posição de desconfiança perante a equipe.

2º – Ao deixar passar Bottas, Massa colocava toda a pressão no finlandês, quem se encontraria na incomoda “obrigação” de passar Button, para justificar tal decisão. Caso não o conseguisse, como também disse Nelson, a Bottas se lhe diria que devolvesse a posição a Massa. Assim, Massa ficaria como o bom rapaz que colabora com a equipe, e Bottas como alguém incapaz de fazer mais do que Massa vinha fazendo, apesar de ter melhores condições que o brasileiro.

3º – Ao deixar passar Bottas, Massa lhe dava a oportunidade de tentar atacar Button em melhores condições que as suas. Se Bottas, finalmente, superava Button, a equipe conseguia uns pontos extras graças à valiosa colaboração de Massa. Porém, sua negativa a permitir a passagem de Bottas, nos deixou a dúvida de saber o que o finlandês poderia ter feito e a certeza de que Massa não colaborou. Isto, não creio que jogue a seu favor.

4º – Ao deixar passar Bottas, o finlandês, em sua provável, e quase obrigatória, tentativa por superar Button (no fim das contas, para isso lhe disseram a Massa que o deixasse passar), poderia até ter provocado algum toque com o britânico o que lhe teria acarretado, no melhor dos casos, alguma punição, e no pior dos casos o abandono próprio ou de ambos, com o que Felipe tería escalado uma ou duas posições, salvando valiosos pontos para a equipe.

Certamente, a “lembrança” a Massa de que Bottas era mais rápido do que ele, com o famoso “… is faster than you ” não foi o mais diplomático e trouxe à memória más lembranças. A própria Claire admitiu que o assunto não fora afrontado da melhor maneira possível, pelo que se desculpou perante os pilotos (pelo menos em público). No entanto, creio que Massa já esta um pouco velho para bancar o rebelde e deveria saber para que foi contratado e o que se espera dele. Agora, temo que o único que lhe resta é brindar-nos alguma boa corrida quando puder, e ganhar todo o dinheiro que puder.

Claire também disse que eles aprendem dos seus erros e que não quer que algo como o acontecido na Malásia se repita, pois não descarta ter que recorrer às ordens de equipe no futuro. Assim, é melhor Massa tomar nota do recado e fazer aprovisionamento de toda sua experiência para não piorar ainda mais sua posição na equipe, pois como disse Albert Einstein: “A única fonte de sabedoria é a experiência“.

Abraços e até a próxima.

Manuel Blanco
Manuel Blanco
Desenhista/Projetista, acompanha a formula 1 desde os tempos de Fittipaldi É um saudoso da categoria em seus anos 70 e 80. Atualmente mora em Valência (ESP)

28 Comentários

  1. Caro Manuel,

    Concordo muito com sua ideia de que o Massa está velho demais par ser rebelde e que ele deve trabalhar pelo bem da equipe, que realmente precisa de dinheiro. O que veio na mente do Massa foi apenas uma reação pessoal, que ele levou do box da Ferrari para o da Williams. Acho que ele errou ao escancarar isso, poderia ter simplesmente seguido a ordem e “discutido a relação” com a direção da equipe depois. Como disse Vito Corleone, no filme/livro O Poderoso Chefão, ao filho Sonny (James Caan): “nunca diga o que você pensa a pessoas que não são da família”. Um forte abraço!

  2. Mauro Santana disse:

    Pois é Manuel!

    Mas na minha opinião, todos os pontos que você muito bem descreveu, ao meu ver, deveriam ter sido aplicados ao Massa lááá nos tempos de Sauber, que inclusive ele mesmo cedeu passagem ao Nick Heidfeld na Alemanha 2002.

    Repito, o Massa não tem mais nada a perder, e se ele quiser alguma coisa ainda na F1, tem que agir desta forma.

    E eu ainda acho que a Williams meio que jogou um verde, de uma de João sem braço, pra ver se o Massa abriria a guardar, como fizera nos tempos de Ferrari e na Sauber.

    Só que desta vez, a coisa foi diferente.

    Um exemplo:

    Será que o Piquet abriria para o Mansell pensando em ajudar o Team Williams!?

    A resposta nós todos sabemos.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  3. Fernando Marques disse:

    Grande Manuel Blanco,

    você diz que faltou sabedoria ao Massa. Será que não faltou também sabedoria a equipe quando lhe passou aquela instrução via rádio?
    A Willians deveria, até a contra seu gosto, definir quem é o piloto nº 1 e o nº 2. Como ela não definiu esta situação, ela tem que correr o risco deles dois duelaram na pista e ponto final. Quem não trouxer o carro inteiro de volta para a garagem que pague uma multa.

    Fernando MArques

    • Manuel disse:

      Amigo Fernando, certamente faltou sabedoria na Williams no hora de passar a instruçao ao Massa, nao há dúvida. Bastaría eles terem dito a Massa algo assim : Olha, o Bottas está em melhores condiçoes do que você para atacar Button. Deixa ele tentar !

      De qualquer jeito, se Massa nao gostou da instruçao, tal e como foi dada, devería ter se queixado e/ou pedido explicaçoes depois. Dizer que ” estou indo mais rápido ” deixa a impressao que nao o estava fazendo antes e se conformava onde estava. Nem o conformismo, nem a rebeldia sao boas.

      Enquanto à definiçao de quem é o nº 1 ou 2, acho que nao é necessário, pois a Williams, presumivelmente, nao luta por nenhum titulo. Isso dependerá de cada momento e situaçao.

  4. Tassio Bruno disse:

    Concordo com todos os argumentos. Contudo felipe teme ser o segundo piloto numero 2. Daí ele n ter deixado ser passado. agora… gostei de ver o ritmo de prova dele na ultima corrida. se n fosse o velho azar…hehe

    abraços

    • Manuel disse:

      Oi Allan,
      É que a coluna foi escrita antes do GP do Bahrein. Concordo contigo que a Williams nao tem razao para prejudicar Massa mas, como disse Claire, o objetivo da equipe é conseguir o máximo de pontos possíveis e, para isso, é necessária a colaboraçao dos pilotos, trabalhando por separado ou em conjunto. Nesta ocasiao Massa se recusou a trabalhar pelo bem da equipe e isso é o que nao me pareceu uma decisao inteligente. Seu argumento que Bottas tampouco tería passado Button nao o habilita a desobedecer, pois os engenheiros sim acreditavam que Bottas podería ter alguma chance. Massa nao sabia em que condiçoes estava o carro de Bottas, mas os engenheiros… sim.

  5. focacruz disse:

    tudo pela espinafração do massa até se aceita, cada um torce o pepino do seu jeito, mas associar isso com “sabedoria” foi fueda nego!

  6. Allan disse:

    Essa coluna teria muito sentido logo após a corrida em questão, mas… Você é tão bom quanto o seu último feito, diz ou outro velho ditado. No Bahrein Massa voltou a largar muito, muito bem, mas perdeu tempo ao permanecer na pista. Aí veio a antecipação na parada que o jogou de volta na frente do Bottas. Ao meu ver foi aí que a Williams revelou que até o momento não tem razão para prejudicar o brasileiro de alguma forma.

  7. fer disse:

    Não concordo com o texto. Falou sensibilidade por parte de equipe para dizer esta frase justamente para o Massa. Não que ele nunca deve ouvir isso…mas não era o momento.
    Que tivessem deixado claro então que o Bottas devolveria a posição caso não passasse o Button aí quem sabe o Massa abriria caminho.
    Por via das dúvidas, eu fico com o Massa. Ele não pediu para não ser passado, a atitude dele significou “se ele está melhor então que me passe, mas não vou dar caminho”.
    Bottas é rápido e parece ser constante também, muito mais piloto que o Maldonado e Grosjean, vai dar muito trabalho ao Massa durante o ano e não me surpreenderia se vencesse o brasileiro no final do ano. Mas o Toto Wolf é agente do Bottas e quer colocar ele na Mercedes já em 2015. O engenheiro que deu a ordem ao Massa estava substituindo a posição que agora é de Rob Smedley, conhecido engenheiro da Ferrari e muito amigo de Massa. Era a última chance de tentarem colocar o Bottas acima do Massa usando ordens pelo rádio, Massa não aceitou o pedido e manteve a posição. Desta forma manteve sua consciência tranquila, marcou território na equipe, para os chefes e mostrou para o companheiro que abrir passagem para um Alonso, Kimi e Schummy é uma coisa…outra bem diferente é abrir caminho para um tal de Bottas que ainda não é nada.
    O Massa divide opiniões na F1, tem gente que o considera um ótimo piloto e tem gente que já o vê decadente…o Bottas tem interesse enorme em ganhar do piloto que disputou um título contra o Hamilton e só não ganhou pelo motor estourado na Hungria. E não me venham com Singapura Gate que isso não é desculpa. A Ferrari errou feio naquele pit stop e isto nada teve a ver com a batida do Nelsinho.

    • Manuel disse:

      Olá fer,
      Por via das dúvidas, eu fico com o Massa. Ele não pediu para não ser passado, a atitude dele significou “se ele está melhor então que me passe, mas não vou dar caminho”.

      Essa, na minha opiniao, é uma atitude equivocada. Repito que o objetivo da Williams é conseguir pontos, portanto nao tem sentido competir com o companheiro. Para a Williams tanto faz se A esta à frente de B ou vice-versa, contudo, se para que B tente conseguir uns bons pontos extras é necessário que A lhe deixe passar. A deve colaborar.
      Nao tinha sentido que A e B disputassem entre si a posiçao a risco de algum acidente. Portanto, foi lógico manter Bottas ande estava, ainda a custo de perder uma boa possibilidade de passar Button. A Bottas nao lhe disseram que podia ir com tudo encima de Massa, e ele se manteve onde estava. Entendo que na Williams pensem que a atitude de Massa foi decepcionante.
      Massa leva toda a vida obedecendo e justo agora desobedece !
      Acaso pensa que a Williams nao é digna de sua obediência ?

  8. Mauro Santana disse:

    Belo texto Manuel!

    Mas ao meu ver, o Massa tem é que pisar fundo no pedal da direita, e aí, vai evitar certos problemas como esse que ocorreu na Malasia.

    Agora, se o Bottas era assim mais rápido, por que o finlandês não o ultrapassou na pista mesmo com a desobediência de Massa?

    Sabe Manuel, eu entendi o seu raciocínio, porem, é melhor matar logo no ninho, como o Massa fez, pois se deixar esse piá chamado Bottas crescer na pista, aí, depois não adianta espernear.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

    • Fernando Marques disse:

      Mauro,

      acho que você foi perfeito ao dizer que é melhor matar logo no ninho. Se o Massa quer realmente se impor como principal piloto na equipe deve agir assim mesmo … agindo assim, creio eu, ele terá mais chances de perdurar na Formula 1 em vez de seguir o raciocínio do Manuel, que tem toda a lógica, mas não me parece a melhor tática pro brasileiro neste momento.

      Fernando

      • Mauro Santana disse:

        Pois é Fernando!

        Se o Massa ainda quer algo na F1, vai ter que botar pra quebrar, pois o que mais ele tem a perder?

        Foram 4 anos na sombra do Alonso na Ferrari.

        Agora, com tantos anos de experiência, 1 vice campeonato, as empresas brasileiras apoiando a Willians, um segundo brasileiro de “pilotos de teste” andando nas sextas feiras no carro do Bottas, quem é que tem que abrir passagem pra quem nas corridas!?

        Como já falamos, ou o Massa enquadra o Bottas, ou o Bottas pode vir a aposenta-lo no final desta temporada.

        Abraço!

        • Mauro Santana disse:

          E como diz o ditado, “a cutia ficou sem o rabo de tanto fazer favor”.

      • Allan disse:

        Foi assim que Alonso se impôs ao Massa em 2010, quando na China, salvo engano (ou foi na Malásia? Sei que foi na 2ª ou 3ª corrida da temporada) deu um chega-pra-lá no brazuca e o passou na entrada dos boxes!

    • Manuel disse:

      Oi Mauro,

      Concordo contigo que pisando fundo o pedal da direita, Massa se livra de situaçoes como esta.
      Quanto ao fato de Bottas nao ultrapassar Massa, devemos recordar que ele nao foi autorizado a fazê-lo. Nao era lógico uma luta entre ambos que, no processo, privaría Bottas da momentânea vantagem que se pretendia aproveitar para atacar Button. Aqui, na Williams, nao importa a ordem dos pilotos, importam os pontos conseguidos. A Massa nao se lhe pedia que deixasse passar Bottas por favoritismo, mas por conveniência para a equipe. Como disse Nelson, caso Bottas nao tivesse conseguido passar Button, a posiçao lhe tería sido devolvida a Massa, coisa da que nao tenho nenhuma dúvida, pois tería sido impossível justificar o contrário.

      • Fernando Marques disse:

        Será mesmo que Bottas devolveria a posição ao Massa?
        Por que isto não foi dito no rádio? a principio, no meu ponto de vista, não seria anti esportivo e sim uma estrategia da equipe naquele momento.

        Fernando Marques

  9. Fabiano Bastos das Neves disse:

    Lamentável ler este tipo de opinião, ainda mais partindo de um formador dela.
    A atitude apregoada pelo colunista só seria aceitável se não existisse um campeonato de pilotos, mas este existe e, para o público em geral, é o campeonato que vale de verdade.
    Também seria aceitável que Massa facilitasse a passagem de Bottas se não tivesse condições de se manter a sua frente, se seu carro estivesse avariado e a briga apenas atrasasse seu companheiro, porém não era o caso.
    Se Bottas não conseguiu nem mesmo atacar o Massa, como conseguiria passar o Button?
    A Williams tem um problema grave de tração nas saidas de curva, o que dificulta muito as ultrapassagens, nenhum dos dois tinha condições de passar o Button, como também não conseguiram passar o Vettel no Bahrein.

    • Manuel disse:

      Olá Fabiano,

      Se Bottas não conseguiu nem mesmo atacar o Massa, como conseguiria passar o Button?

      Os engenheiros pensavam que sim podia, e els tinham a informaçao necessária para saber isso.
      Bottas nao atacou Massa porque nao foi autorizado a fazê-lo. Perante a desobediência de Massa, a única alternativa era manter as posiçoes e evitar um possível acidente entre ambos, no caso de uma hipotética disputa de posiçao.

      • Fabiano disse:

        Estranho!
        Eu ouvi uma gravação onde o engenheiro do Bottas lhe diz para passar o Massa, pois estava mais rápido que ele.
        Você não ouviu?

        • Manuel disse:

          Fabiano,
          Essa instruçao veio depois de que lhe haviam dito a Massa que o deixase passar, e pensando que o brasileiro a obedecería. Ao ver que Massa nao facilitava a passagem, Rod Nelson lhe diz a Massa que estava mais lento que Bottas e que o deixe passar mas, perante a negativa de Massa, finalmente, lhe dizem a Bottas que nao tente a ultrapassagem.

  10. Fernando Marques disse:

    Se a decisão do Massa foi a mais correta ou não, creio que só saberemos no decorrer da temporada. O Bottas vem mostrando ser um piloto rápido mas até agora não foi mais rápido que o Massa nos treinos. E só está a frente do Massa na pontuação do campeonato por causa do incidente do Massa na Austrália, que tirou do Massa grandes chances de pontuação e de chegar mais uma vez na frente do Bottas.

    Compreendo o raciocínio do Manuel Blanco mas aquela ordem na Malásia foi descabida e a Formula 1 há tempos vem criticando este tipo de atitude, ainda mais na Willians que nunca se intrometeu nas brigas de pistas entre seus pilotos.
    Tão descabida que pode ter desanimado o Massa de atacar novamente o Button, já que se preocupou em se defender do Bottas.

    Faz bem lembrar aquela entrevista do Piquet e Mansel recentemente, ambos gravavam um comercial para a Ford, onde ambos afirmaram o respeito que tinham um pelo outro e que nunca usaram de atitudes anti esportivas dentro e fora das pistas, que exemplifica muito bem como era a política da Willians naquele tempo.

    A meu ver é assim que tem ser na Willians entre Massa e Bottas. Ganhando ou perdendo este duelo, creio que isso que é bom para o Massa e a sua carreira. Ser perder não tem chororô.

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Fernando Marques disse:

      O Bottas largou na frente do Massa no Bahrein por causa de um erro do brasileiro quando fazia a sua melhor volta no Q3. Creio que foi o unico momento em que Bottas esteve mais rápido que o Massa neste fim de semana.

      Fernando Marques

    • Marcel Pilatti disse:

      Oi, Fernando.

      Na verdade, amigo, o Massa ficou atrás do Bottas no treino livre 3 (no 1 e no 2 participou o Nasr), na Q1, Q2 e Q3.

      Abraços!

      • Fernando Marques disse:

        Marcel,

        pelo que tenho visto pelo menos o Massa tem andado mais na frente do Bottas que vice e versa.

        obrigado pela boa informação

        Fernando

  11. Helton Oliveira disse:

    escrever…Eu acredito que pela propria experiencia que o Massa teve, tanto na Sauber quanto na Ferrari, esse negocio de “trabalhar pra equipe ” não rende bons frutos, a equipe sempre se volta ao “1 Piloto”. Ele precisa correr, e ser mais rapido que seu companheiro de equipe, se almejar continuar a receber pra correr o ano que vem.

    • Manuel disse:

      Olá Helton,

      Bom, quanto aos frutos rendidos, o caso é que Massa renovou seu contrato com a Ferrari em mais de uma ocasiao, portanto… alguns frutos tería caso contrário o lógico tería sido sair dalí. Contudo, foi a Ferrari quem acabou dispensando Massa.
      Independentemente da qualidade ou nao de Massa, a verdade é que ele vai à Williams como um piloto descartado de sua anterior equipe e sem destino melhor aonde ir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *