Não são só corridas…

Austríacos – Final
23/03/2020
Parada estratégica
30/03/2020

Em tempos complicados e desafiadores como esse em que vivemos, nos resta refletir sobre o nosso tamanho perante o mundo. Alguns pensam que são grandes demais e que não serão atingidos, desafiando os  especialistas, outros se apequenam e acham que nunca sairão do abismo da solidão. Nos resta buscar o ponto de equilíbrio, tentando nos manter sãos em um mundo cheio de notícias e opiniões, mas de pouco bom senso.

Pensando sobre como manter a sanidade para continuar nos “trilhos”, seguindo sempre em frente, comecei a pensar no que as corridas representam para nós, amantes do automobilismo. A frase do título foi “emprestada” de propagandas que exaltam outro esporte, aquele que já nos trouxe muitas alegrias, mas também muitos momentos de decepção. Em tempos de normalidade, assistimos as corridas com expectativa de ver grandes duelos, ultrapassagens no limite, vitórias por poucos metros de distância e tudo mais que existe de empolgante no automobilismo.

Também em tempos normais, deixamos de ver algumas corridas em alguns momentos, seja por compromissos particulares inadiáveis, ou simplesmente por não gostarmos do traçado daquele circuito. Perder uma ou duas corridas não nos faz falta, pois sabemos que no fim de semana seguinte teremos outra corrida emocionante para assistir. Mesmo que seja com Senna na pole, e com o melhor carro, em Mônaco. Vitória quase certa. Sempre aguardamos o apagar das luzes vermelhas para a emoção da largada.

Vivemos momentos diferentes nesse 2020 complicado. Tivemos poucas corridas e não sabemos quando elas voltarão. A expectativa deixa de nos tocar e não aguardamos mais o apagar das luzes vermelhas em frente à televisão. É frustrante, para dizer o mínimo. Uma corrida da NASCAR dura de três a cinco horas. Uma de F1 menos de duas horas. As da Moto GP menos de uma hora. Colocando em perspectiva em uma semana, ou mesmo em um dia, é pouco. Mas esse pouco tempo faz tanta diferença para os amantes do automobilismo, que sentimos muito a sua falta. Estamos sendo privados não somente das emoções das corridas e suas disputas, mas das discussões e debates com os amigos para falar sobre aquela ultrapassagem no limite, o toque entre companheiros, a chuva que mudou toda a estratégia, o bump and run que tirou a vitória do novato e até mesmo da expectativa nos dias antes da corrida.

Corridas envolvem emoções, experiências únicas e particulares para cada indivíduo. Cada pessoa se envolve de forma diferente com cada categoria, cada evento, cada carro e cada piloto. Somente uma coisa é comum para todos os fãs de automobilismo: a saudade das provas nos períodos de férias. Todo amante do automobilismo sente aquele vazio depois que a última prova do campeonato se encerra. É um fato. O problema que enfrentamos hoje é que esse intervalo das férias não tem data para acabar. Pela saúde de todos, a pausa é necessária e primordial para que a normalidade possa ser retomada o mais brevemente possível. Juntos
passaremos por mais esse desafio, abrindo caminho para que os eventos possam ser retomados e todos nós possamos aproveitar novamente as tão esperadas corridas de carro.

Pouco para alguns, muito para nós.

Em uma tentativa de diminuir um pouco nossa angústia e expectativa pelo retorno das corridas, estão sendo organizadas corridas virtuais, com a participação de vários pilotos profissionais de diversas categorias. A NASCAR teve seu evento virtual inaugural com a presença de nada menos do que vinte e nove pilotos da CUP, a categoria principal. E não foi só isso. O evento foi transmitido pela televisão com a equipe oficial da TV norte americana, incluindo Jeff Gordon nos comentários.

Nos dias que antecederam a disputa virtual, acompanhei os canais sociais de pilotos, da NASCAR e da equipe de transmissão. A expectativa dos pilotos era alta, obviamente estão todos “na seca” de pilotar. A equipe de transmissão foi assistir algumas corridas e transmissões virtuais, para aprender a dinâmica um pouco diferente do mundo real. A NASCAR divulgou amplamente o evento, tudo muito bem organizado.

Tive a oportunidade de assistir a transmissão americana por um bom tempo e foi algo surpreendente. A tecnologia evoluiu muito e os gráficos e reações se tornaram extremamente realistas. O time da televisão fez de tudo para explicar aos fãs tudo o que acontece em um evento virtual, explicando os detalhes e diferenças para as corridas reais. Os pilotos queriam realmente ganhar o evento e a disputa foi acirrada. A vitória foi definida nos últimos metros, bem no estilo da NASCAR real, com Denny Hamlin ultrapassando Dale Earnhardt Jr. nos últimos metros. O final foi empolgante de verdade, mesmo sendo um jogo.

No mesmo dia houve também uma corrida virtual de F1, mas não pude acompanhar. Essa também teve participação de pilotos reais, como Lando Norris.

Nas próximas semanas teremos outras corridas virtuais com participação de pilotos reais. A Moto GP vai organizar um GP virtual, a Indy vai ter um evento, inclusive com a participação de Emerson Fittipaldi, Gil de Ferran, Helio Castroneves, Tony Kanaan, Juan Pablo Montoya e outros grandes nomes.

As corridas virtuais evoluíram muito e a participação de todos esses grandes nomes comprova isso, mas obviamente ela não substitui as provas reais. A experiência de estar presente em uma corrida ultrapassa a emoção de assistir uma corrida do sofá. O cheiro de borracha queimada, o som dos motores, a vibração da torcida, os itens que podem ser comprados para levar para casa um pedaço daquela memória. Nada disso pode ser substituído, e por isso repito, não é só corrida.

Nesse momento onde precisamos manter a cabeça ocupada, as corridas virtuais chegam em boa hora. Mas o que queremos de verdade é que tudo isso passe e as corridas reais voltem a acontecer. Pelo bem de todos nós, amantes do automobilismo e fãs das grandes corridas e pilotos. Se cuidem e fiquem em casa. Em breve as provas estarão de volta e podemos debater novamente em uma mesa de bar. Melhor ainda. Numa pista de corridas.

Abraços.

Rafael Mansano

Rafael Mansano
Rafael Mansano
Viciado em F1 desde pequeno, piloto de kart amador e torcedor de pilotos excepcionais.

2 Comments

  1. Fernando marques disse:

    Rafael,

    Ontem a noite consegui pelo PC assistir o filme Ford x Ferrari. Adorei. Muito bom mesmo.

    A poucos dias revi o GP da Austrália 86.

    E vamos que vamos até que o o mundo volte só normal.

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Rafael Mansano disse:

      Por sorte vivemos num tempo onde os arquivos estão disponíveis em diversos lugares na internet. Salvando nossa sanidade…

      Abraços, Fernando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *