Voltamos!

Gilles e eu
08/05/2013
Cobertor Curto
13/05/2013

Voltamos! São 3 semanas sem Fórmula 1 e trabalho muito intenso nas fábricas. Em 2012 ainda tivemos um teste entre Bahrein e Barcelona para distrair a cabeça. Voltamos! Estamos na pista mãe de quase todos os testes da temporada. A pista que todo mundo conhece milimetricamente. A pista da eficiência aerodinâmica.

Voltamos! Para uma campeonato aberto, com favoritismo de Vettel, mas sem um carro ainda claramente dominador dos demais. Voltamos! Para um monte de perguntas que não foram respondidas nas quatro primeiras provas da temporada. A McLaren reage? A Ferrari e Alonso errarão menos? A Lotus continua na frente? Será que a Mercedes consegue dar mais que uma volta rápida?

Separador

Barcelona é a pista que dispensa apresentações. Eu, você, os pilotos, todo mundo sabe como ela é. São anos de testes e provas na mesma pista que só sofreu poucas alterações em curvas e na sua parte final. O circuito foi criado na era pré-Tilke e tinha o conceito básico de uma grande reta em direção a uma grande freada para criar o ponto perfeito de ultrapassagem. Durante muitos anos não deu certo, ninguém conseguia seguir o carro da frente pelas curvas que antecediam a reta, ficava impossível chegar na freada perto o suficiente do adversário.

Antes da era KERS-DRS-Pirelli-Mussarela a corrida era um tédio enlouquecedor. Teve corrida boa? Teve sim. 1991 com Mansell e Senna (vamos botar o video aqui mais uma vez!). 1993 com o Podium do século (confere lá na página do GPTotal no Facebook. Mas em geral as corridas davam sono.

E tudo tem explicação.

Desde 1999 a pista foi utilizada para 86 sessões de testes que totalizaram 347 dias! A festa acabou mas ainda a pista reina absoluta na programação de testes da F1. Os dois últimos ensaios da pré-temporada são feitos no circuito e os pilotos giram na casa de 80-100 voltas por dia. Alguns chegam a percorrer a distância de 2 GPs, caso de Nico Rosberg que encerrou os testes de 2013 com 131 voltas no bolso do macacão no último dia.

Por isso a pista é fundamental para começar a dar algumas respostas sobre o campeonato.

Separador

Nico andou bastante em Barcelona e não deve ter problemas pra saber o “caminho”. Veja a posição do piloto no F1 atual, explicado pelo próprio Nico!
httpv://www.youtube.com/watch?v=4eh4FB5D3rs

Separador

Não vamos esquecer de Senna x Mansell?
httpv://www.youtube.com/watch?v=ZzN9u7T3iNg

Separador

Em Barcelona não existe desculpa. O simulador foi ajustado em 8 dias de testes. As peças testadas no túnel de vento foram comparadas com o resultado real na pista. Os dados estão atualizados. As calibragens estão feitas. Não é somente a “volta a Europa” que permite os grandes pacotes de atualizações da equipes. Se Barcelona fosse a 6º etapa, após Mônaco, continuaria como prova central para atualizações. É o circuito que as equipes sabem o que vão encontrar. A margem de erro é menor. Os dados são mais confiáveis.

Claro que isso trás a expectativa sobre os rumos do campeonato. Quem conseguirá se aproximar do líder? Ou simplesmente, quem não se afastará do pelotão?

A McLaren, tudo indica o noticiário, é a equipe que vem com o caminhão mais carregado. O carro está perto de 1s atrás dos concorrentes em velocidade pura. Vem aí asa nova, laterais refinadas, novo escapamento e mais uma infinidade de refinamentos imperceptíveis para nós mortais. Se o time não se aproximar dos ponteiros vai focar seu desenvolvimento no conceito da nova suspensão (que será utilizada em 2014) e vai concentrar mais esforços em testes para o carro de 2014. Pode ser o fim do campeonato de 2013 para Button e Perez.

O box da RedBull sempre é muito discreto. Todas as equipes mandam releases informando tudo tudo tudo que vão trazer pra prova. A Red Bull dá dicas de restaurantes. Mas ninguém dúvida que Newey vem com novidades. Principalmente para conservar os pneus. A traseira mais alta da RBR (repare pelas imagens da tv como a traseira é mais alta em relação a frente do que os outros carros) é devoradora de borracha nas curvas de alta. O carro da RBR está entre os mais lentos em reta e agora entre os mais lentos em curvas de alta, uma opção de acerto para manter o carro constante e sem acabar com os pneus. A maior dúvida da equipe ainda está com o futuro de Webber. O australiano não sabe se aposenta no fim-do-ano, não sabe se procura outra equipe ou outra categoria. Enquanto isso não se resolve, o clima da equipe não continua dos melhores.

A Ferrari espera uma reação de Felipe e que ele aprenda a lidar com os pneus. Fernando e seu engenheiro tentam não repetir os erros das últimas duas corridas para se manterem na briga pelo título. O foco do desenvolvimento do carro continua em velocidade pura para classificação. Os vermelhos precisam ganhar algumas posições para prevalecer o seu bom ritmo de corrida.

Kimi Raikkonen chega em Barcelona esperando que o pacote vindo de Enstone mantenha seu carro na frente do pelotão. É uma grande incógnita principalmente pela situação financeira da equipe, delicada e sem grande patrocinadores principais. A boa notícia é que Grosjean se entendeu com o carro depois que lhe deram um chassi novo. Vai ajudar o time a crescer na temporada.

Pelos box da BAR-Honda-Brawn-Mercedes, vem pintura nova por aí! Muda pouca coisa na verdade. Acabamento opaco. Estrela mais destacada. Esse é o destaque para Barcelona, o carro carrega uma grande inovação que é a suspensão sem amortecedores, é rápido em volta lançada e ponto final. Parece que vai ser isso o ano inteiro. Das equipes de ponta eu acredito que essa seja a que mais está com a cabeça em 2014.

Na turma do oba-oba temos que acompanhar o crescimento da Force India e o despertar de Paul di Resta. Último ano de contrato, é bom mostrar serviço. Toro Rosso e Sauber vão ficar ali no meio, ainda apagadas. Falta dinheiro pra atualizar o carro e montar o carro de 2014.

No pelotão da desgraça, Marussia e Caterham brigam pra ver que é a última. A equipe verde prometeu pra Barcelona o seu carro de 2013 completo. Metade das atualizações chegaram em Bahrein – somente no carro de Pic – e ele foi 0.5 segundos mais rápido. Será que eles passam pro pelotão do meio? O time russo também vem com novidades muito esperadas. Usaram túnel de vento e a parceria com a McLaren, pode vir coisa boa por aí!

E a Williams? A equipe se perdeu no acerto do túnel de vento como a Ferrari no ano passado. O pacote de Barcelona promete reverter esse erro e botar o carro no caminho correto novamente. Maldonado já disse que se não der certo existe um Plano B. Qual? disputar a GP2? Ele ainda ressalta que é importante e fundamental o fato de já terem descoberto o que deu errado. Legal, o clima deve ser de motivação pura: da vitória em 2012 para “vamos tentar nos manter no Q2” em 2013.

Informações da Pista

Circuito: Circuit de Catalunya
Voltas: 66
Comprimento: 4.655 km
Distância: 307.104 km
Recorde da Pista:
1:21.670 – K Raikkonen (2008)

Programação

Sexta-Feira
5h – 1º treino livre
9h – 2º treino livre

Sábado
6h – 3º treino livre
9h – Classificação

Domingo
9h – Corrida

Separador

Um campeonato equilibrado. Uma pista que todos, engenheiros e pilotos, conhecem. Prato cheio para responder nossas dúvidas!

Para apimentar, Pirelli deu mais um jogo de pneu pra moçada andar na sexta. Só que o pneu é para pista seca e a previsão é de chuva.

Tem tudo para ser um corridão. Boa Corrida!

Abraços, Flaviz Guerra – @flaviz

Flaviz Guerra
Flaviz Guerra
Apaixonado por automobilismo de todos os tipos, colabora com o GPTotal desde 2004 com sua visão sobre a temporada da F1.

8 Comentários

  1. Mauro Santana disse:

    A respeito dos pneus, vou contar uma pequena e rápida história que aconteceu com um amigo meu.

    Ele foi comprar quatro pneus novos para o carro da sua esposa, e quando foram num auto center o vendedor dentre outras marcas ofereceu um modelo da Pirelli, e olha a resposta que a esposa deste meu amigo deu:

    “Se estes pneus Pirelli fossem tão bons, não se esfarelavam nas corridas de F1, e os pilotos não precisavam trocar tantas vezes nas corridas, não quero pneus Pirelli no meu carro.”

    Essa é a imagem que a Pirelli esta passando para o seu público mais informal, mas que na maioria das vezes se torna o público principal.

    E assim vamos, com essas corridas com uma enormidade quantidade de paradas de pneus, pois acabaram o reabastecimentos, mas continuam as paradas obrigatórias.

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

    • Lucas dos Santos disse:

      Tem toda a razão, Mauro.

      Ontem mesmo li um comentário que um internauta publicou em uma das notícias sobre a corrida, que dizia mais ou menos assim: “Se os pneus da F1 fossem Bridgestone, as equipes não teriam tantos problemas com desgaste”.

      Só por aí dá para ver que a imagem passada pela Pirelli não é das melhores. Tudo porque a FIA (ou sei lá quem) quer que todas as corridas sejam iguais ao GP do Canadá de 2010.

  2. Mauro Santana disse:

    Alonso é o melhor piloto da atualidade!

    Nunca gostei desta pista de Barcelona, e ontem o Galvão azucrinou com esse papinho que “acabou a fama de que ninguém passa ninguém em Barcelona”.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  3. Fabiano Bastos das Neves disse:

    Terminado o treino classificatório, deu para ver como a Williams andou para trás com o carro deste ano. Enquanto no ano passado Maldonado foi pole com 1’21″707, neste ano foi eliminado no Q3 andando um segundo e meio mais lento.
    Será que não era melhor tirar o carro velho da garagem (talvez este seja o “plano B” que o Maldonado falou). Com o tempo do ano passado ele teria passado para o Q1 e largaria em 9º lugar, pois, diferentemente da Williams, todos os outros andaram para frente e melhoraram seus tempos.

  4. Fernando Marques disse:

    Minha torcida daqui em diante até o fim do campeonato é pelo Kimi Raikkonen …

    Fernando Marques
    Niterói RJ

  5. Flaviz Guerra disse:

    Rodrigo,
    é um sistema hidráulico interligando frente, traseira, lados esquerdo e direito.
    Vou buscar um gráfico explicativo e coloco aqui mais tarde.

    abraços

  6. Rodrigo Felix disse:

    Caramba! Suspensão sem amortecedores? Isso pra mim é novo!

    Palpite: campeonato acabou, acho que Vettel nada de braçada até o fim do ano

    • Flaviz disse:

      Rodrigo, o consultor técnico da AUTOSPORT fez esse desenho para mostrar o sistema. Em verde, temos os dutos conectores e em amarelo os reservatórios do fluído hidráulico.
      FRIC da Mercedes
      O princípio básico é muito simples. Uma rede hidráulica interliga os 4 cantos do carro (frente e traseira, esquerda e direita) e alterando a pressão que atua em cada cilindro busca manter o carro sempre na mesma altura do solo.
      Lembra muito a suspensão ativa (mesmo objetivo), mas aqui não tem nenhuma ajuda eletrônica. Por isso a dificuldade de acerto. Eles encontraram a fórmula para manter o carro na mesma altura do solo e torná-lo muito rápido, mas paga o preço de um elevado consumo de pneus.

      Abraços
      Flaviz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *