Fechando a conta

Brabham, um passão e o cheiro do arranjo
29/11/2011
Construtores
05/12/2011

Jenson Button se deu conta de que não é páreo para o Lewis em termos de velocidade e - sabiamente - não tenta ser o que não é, esbanja firmeza quando o outro dá moleza.

 

O que falta falar sobre o GP de encerramento da temporada?

Mais uma observação sobre o passão de Don Fernando sobre Jenson, por exemplo. Li declaração do gente-boa britânico de que ele percebeu com clareza as intenções do asturiano mas não pode se defender porque a opção que lhe restou de traçado estava ocupada por detritos do pneu do Schumacher. Entre frear na sujeira e eventualmente ir parar no softwall, ele preferiu tomar o passão. Não vou entrar no mérito se foi uma manobra extraordinária de Alonso mas vejo aí um sinal claro de como Jenson está consciente.

Ele se deu conta de que não é páreo para o Lewis em termos de velocidade e – sabiamente – não tenta ser o que não é, esbanja firmeza quando o outro dá moleza.

Convém enfatizar que Jenson teve a oportunidade de dar a revanche e deu. Mesmo assim, diria que ele fez uma temporada aparentemente tão boa também porque seu colega de equipe operou bem abaixo do seu potencial.

Conversei com meu mestre Gigante a respeito desse GP e fiquei feliz em ver que concordamos em vários pontos. Primeiro que Bruno freou efetivamente tarde e ficou sem opção exceto atrapalhar a corrida do multi-campeão tedesco. Desta vez os comissários estavam corretos.

Também ao contrário dos colegas, achamos que Vettel teve mesmo problemas no câmbio. Seus tempos eram bons? Eram. Mas os de Webber eram ainda melhores. E seja como for, coincidência ou não, era uma situação natural considerando que o que manda são os interesses da equipe e para a equipe era melhor que Webber ganhasse. Por que acho que Vettel teve mesmo problema?

Porque não estava infeliz depois da corrida. Para um piloto tão empenhado em bater recordes como ele, uma vitória a mais faz diferença.

Você lembrou do episódio de Suzuka, Senna entregando ostensivamente de bandeja a vitória a Berger? Lembra das declarações? Nenhum dos dois estava feliz, até onde me lembro, mas era uma compensação – forçada – do Senna para alguma ajuda anterior prestada pelo austríaco. Aqui nem era agradecimento por ajuda, coisa que Vettel não precisou ao longo do ano, mostrando o quanto evoluiu como piloto da última temporada para cá.

Ele não se acomoda, portanto seu limite vai sempre indo mais adiante.

Separador

O resultado surpreendente do Sutil mostra que motor faz a diferença em Interlagos. Foi o motor que colocou Schumacher na dianteira do Bruno no fim da reta dos boxes.

Hum, mas a RB também usam Renault e andam na frente… As crias de Mr Newey eram soberanas no trecho 2 e isto foi o suficiente, como de hábito. Elas entram mais rápidas nas retas, vão perdendo velocidade, em especial para quem tem Mercedes nas costas, depois recuperam tudo nas curvas, com sua velocidade de contorno superior.

Muito por isso foram as McLaren que mais encurtaram a distância para Seb Vettel.

Separador

As F-150 Itália não serão lembradas como um ícone da celebração dos 150 anos da república italiana.

É impossível não reconhecer que Don Fernando merece aplausos calorosos por todos os pódios conquistados este ano. Tirou tudo e mais um pouco de um projeto contritamente reconhecido como conservador em excesso.

E essa será a linha de conduta da Renault no próximo ano, Eric Boullier informou. Como não sabem em que nível estará Kimi no ano que vem, parece ser uma decisão sábia, para não confundir ainda mais com a falta de referência. Portanto, o piloto que dividir os boxes com Kimi pode ir se preparando que será uma grande surpresa se tiver equipamento no nível das RB. Por aí se vê o quanto foi grande o estrago causado pela falta do Kubica.

Separador

Quem não gosta dos autódromos de Tilke pode ir tirando o pônei da chuva. Tio Bernie declarou que a Europa está morta, que vai acabar ficando só com cinco corridas e que Rússia, México e África do Sul estão na fila para entrar na temporada. Quem está envolvido com a volta do GP do Mexico é o filho do sr. Carlos Slim, o homem mais rico do mundo, portanto os espanhóis, que contam com dois GPs neste momento, podem ir se preparando para dar adeus a Barcelona, alvo declarado de Mr Ecclestone.

Bom final de semana

Carlos Chiesa

Carlos Chiesa
Carlos Chiesa
Publicitário, criou campanhas para VW, Ford e Fiat. Ganhou inúmeros prêmios nessa atividade, inclusive 2 Grand Prix. Acompanha F1 desde os primeiros sucessos do Emerson Fittipaldi.

1 Comment

  1. Fernando Marques disse:

    Não resta duvidas que o bom desempenho do Button nesta temporada, sem desmerecimento algum, está ligado a irregularidade e o baixo rendimento do Hamilton que junto com Massa foram as grandes decepções desta temporada.
    A volta do Kimi pode até ser boa em termos de marketing mas numa comparação com Schumacher (mil vezes mais piloto que ele) e que come poeira e mais poeira dos outros na Mercedez (até de seu companheiro de equipe) desde que retornou a Formula 1, o que esperar do Iceman a não ser comer mais poeira que o Alemão ano que vem, ainda mais tendo um carro inferior ao da Mercedez …

    Fernando Marques
    Niterói RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *