Imperdoável, Bahrein

Inacreditável, Bahrein.
19/04/2013
Indivíduo vs Equipe
24/04/2013

A prova que não deveria ter acontecido.

Nosso colunista Flaviano Guerra não acreditou que a F1 foi pra lá. Mas foi. Os três jornalistas ingleses, sabendo que a F1 estava lá, quiseram saber mais: e não puderam ver mais nada. Creio falar em nome da nossa equipe quando afirmo que a Fórmula 1 não precisava ter ido ao Bahrein. Mas foi.

Sempre difícil não soar piegas em situações como essa, ou em falar algo a respeito sem ser um “revolucionário de sofá”.

Nos comentários da coluna do Flaviz, alguns leitores emitiram opiniões importantes. O amigo Rafael Carvalho de Oliveira disse que “Se as equipes sabem do conflito, porque que aceitam o GP do Bahrein no calendários? As equipes não têm boca pra falar? Bernie Ecclestone é mais forte que as escuderias? Se não está havendo bom senso do mandatário da F1, as equipes também não estão tendo nenhum cuidado com o que pode acontecer. Se está acontecendo no Bahrein ainda, é mais culpa das equipes e não Ecclestone porque ele está pouco se lixando!

Gostaria de outra vez chamar a atenção dos leitores para uma coluna que escrevi há dois meses: “O plano de 4 anos“. Ali, vemos o quão ambicioso (e inteligente, e inescrupuloso) é Mr.  Bernie Ecclestone. Aliás, depois que eu soube daquela história, todo o tipo de baixaria realizada por ele na F1 passou a fazer mais sentido pra mim.

Explico: o cara não tem nada contra nós, amantes do automobilismo. Ele não quer prejudicar a “nossa” categoria, ou modalidade. Ele não está nem aí pra nada.

A megalomania de Bernie é tão sem limites, e tão “sem noção”, que ele se ofereceu para cuidar do Tênis. Isso mesmo, um dos esportes mais prestigiados do mundo nas mãos dele! Primeira proposta: diminuir o tempo das partidas.

Já pensou? Rafael Nadal e Novak Djokovic nunca mais poderiam se enfrentar. E no último domingo, protagonizaram mais um épico

Outro épico dominical foi a prova da MotoGP: Uma descrição melhor da corrida certamente poderá ser encontrada na postagem de Márcio Madeira, mas vale à pena fazer alguns comentários adicionais.

Marc Márquez parece ser mesmo um candidato ao título desse ano. Mais: parece candidato a mito. Claro que nós tivemos empolgação semelhante quando da estreia de Hamilton na F1, mas Marquez tem um quê diferente. Principalmente quando ele de fato supera o companheiro de equipe (muito) mais experiente logo de início.

httpv://youtu.be/N90RvBxBjns

A condução de Márquez, vistosa desde sempre, foi seu principal trunfo na vitória de ontem. Vê-lo fazendo curvas com 63º de inclinação, é coisa de louco.

Testemunho depoimento de alguém que acompanhou trechos do GP de ontem comigo mas que não tem contato algum com a categoria: “nossa, esse 93 parece que vai cair toda hora, ele deita pra caramba“.

Fenomenal.

Fenomenal, também, a vitória de Takuma Sato na Indy, ontem, o primeiro japonês a vencer na história da categoria. Parabéns, Sato!

Não pude acompanhar a prova, mas fica o registro.

Pensei em falar também dos PlayOffs da NBA, e até da definição da última rodada do Paulistão… mas, vamos falar da corrida do Bahrein, então.

Prova que contrariou todos os prognósticos.

O pole teve um dia de equipe nanica; o vencedor nunca esteve com a pinta do passeio que deu; o segundo colocado lutou para chegar ao Q3; um dos apontados como favorito foi traído por uma peça que quase não se vê na folha de pagamento da maior marca da F1; o ex-pior estreante da história da McLaren quis peitar a todos; a outra Ferrari nem chegou aos pontos depois de problemas bizarros nos pneus.

Enfim… todos nós que “entendemos” de corrida erramos nesse fim-de-semana.

A última coluna da Alessandra Alves, sobre Fernando Alonso, me trouxe à mente esse pensamento: o espanhol de fato convenceu a todos de que fosse o melhor, mas não irá conseguir transformar isso em números, em feitos.

2010 foi um ano em que ele não tinha carro; o carro evoluiu, e ele chegou à briga. Mas a RBR se acertou, e venceu. 2011 ele não teve carro, e a RBR brincou. 2012 ele não teve carro; o carro evoluiu, e ele chegou à briga. Mas a RBR se acertou, e venceu. 2013 o carro nasceu melhor que todos os anos anteriores. E a RBR nasceu menos poderosa. E a RBR está vencendo de novo…

Alonso talvez se torne um Moss com título.

Vettel se disse surpreso com vitória tão fácil: “eu não esperava (…) na largada, quis me arriscar para assumir a liderança“. Sinais de um piloto maduro, e cada vez mais ciente de seu papel na pista. Sua declaração mais importante do fim-de-semana, porém, foi a de que “a F1 não está no Bahrein para se envolver com política“.

Sem querer “vilanizá-lo”, ele é o retrato de tudo o que dissemos de início.

Semana passada (no X-Games), Nelsinho Piquet deu uma entrevista em que revelou seu desejo do campeão mundial de 2013: Kimi Räikkönen. Nelsinho afirmou que gostaria de ver isso acontecer para que Kimi “fizesse todos de otários“.

Tô contigo, ‘Piquet Jr’.

Button declarou depois da corrida que considerou a pilotagem de Pérez suja: “Foi uma corrida muito limpa, o que é bom, exceto pelo meu companheiro“.

httpv://youtu.be/ZknjSg9lQ8k

O campeão de 2009 que me desculpe, mas o que fez ‘companheiro dele’ foi talvez o que de mais limpo aconteceu em todo esse fim-de-semana.

Boa semana a todos.

Abraços!

Marcel Pilatti
Marcel Pilatti
Chegou a cursar jornalismo, mas é formado em Letras. Sua primeira lembrança na F1 é o GP do Japão de 1990.

3 Comments

  1. Augusto disse:

    Tomare que Kimi ganhe mesmo esse ano. E que ano que vem não vá pros touros vermelhos. Ele disse uma vez, após o seu retorno: “só corro se tiver um bom carro.” Mas além de um bom carro precisa do piloto, e se ele ganhar vai dar um banho. Apesar ainda de querer ver Alonso Tri.

    E a Moto GP está bonita de se ver.

    Muito boa a coluna. Abraços

    Augusto Leal

  2. Mauro Santana disse:

    Fernando

    Só completando, a equipe A. J. Foty não vencia desde 2002 com Airton Daré.

    Bela vitória do Japa Sato!

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  3. Fernando Marques disse:

    Marcio,

    eu assisti um pouquinho da Formula Indy e a vitoria do T.Sato tambem quebrou um outro tabu … a equipe dele (pertence se não me engano ao A. J. Foty) não vencia uma corrida desde 2003 ou 2004 … deve ter sido uma festa em tanto …
    A vitoria do M. Marquez certamente era a mais esperada deste ano na Moto GP … e não demorou … pena o Valentino não ter tido um equipamento forte no Texas … não vejo a hora de poder ver um bom pega entre os dois … me desculpe o Pedrosa e o Lorenzo mas para mim as estrelas deste ano é o Marquez e o Rossi de novo com uma maquina de ponta …
    Com relação ao GP do Bahrein, apesar dos problemas politicos foi uma bela corrida … O Vettel deu um passeio e não acredito que o Alonso (mesmo se não tivesse tido os problemas que teve) conseguisse acompanhar o Alemão …
    O Raikkonen mais uma vez mostrou que está guiando o fino … merece brigar pelo titulo … que a Lotus lhe dê um bom carro até o fim da temporada …
    Já o Massa mais uma vez teve a chance de mostrar que pode andar na frente, face aos problemas do Alonso na corrida, e mais uma vez disperdiçou … não entendi ele entrar no pit junto com Vettel (1º pit) se tinha pneus para continuar na pista … ali ele saiu da disputa por um podium a meu ver … os problemas que ele teve com os pneus ocorreram depois deste pit …
    O Jason Button só chiou por que foi o Peres que lhe bateu nas pistas … se fosse o Hamilton duvido que ia chorar …

    Fernando Marques
    Niterói RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *