A corrida do “era pra ser”

Fecham-se as cortinas
12/11/2020
Os primeiros a beber dessa água
19/11/2020

Fonte: Twitter Mercedes AMG-Petronas

O GPtotal apresenta mais um colunista. Numa corrida que, em princípio, traria possíveis novos resultados além do previsível, uma emergencial alteração no calendário de autores revelou-se uma oportunidade de engrandecer nosso time de opiniões e análises, algo que sempre foi muito caro ao nosso gepeto, desde sua fundação, quase 20 anos atrás.

Carolina Figueiredo, que já desde o final de 2018 colabora com nosso site no chamado “backstage”, agora é parte da equipe de colunistas. Num ambiente que outrora possa ter sido sectarista, cada vez mais percebemos a possibilidade e a valia de termos mais representantes e… mais representatividade.

Bem-vinda, Carol!

Era pra ser uma corrida tumultuada e caótica. Depois de treinos e classificações debaixo de chuva e asfalto novo – até demais. O mínimo que se esperava eram carros saindo da pista e um pódium exótico.

Estou errada? Stroll ganhou a primeira pole-position da carreira na F1. Lewis conseguiu somente o sexto lugar. Era pra ser uma corrida diferente.

Com Verstapen e Albon largando mal, com o carro parecendo patinar na largada, as posições já começam a se alterar no início da corrida. Hamilton aproveita para a assumir a 4ª posição, mas erra e é ultrapassado por Albon e Verstapen.

Em um circuito recheado de curvas fechadas, descida acentuada e asfalto molhado, muitos foram os pilotos que passearam fora da pista, com destaque para Bottas, que rodou duas vezes e na hora errada e perdeu a posição para Ocon, que vinha na sua cola.

Mas e a chuva? E a previsão de tumulto? Tudo foi ficando para trás, e os pilotos e equipes começam a considerar trocar o pneu de chuva pelo pneu intermediário. Quem se deu bem em ser cobaia da pista e trocar logo para intermediário foi Leclerc, que conseguiu ganhar boas posições.

Por boa parte da corrida Hamilton manteve a 5ª colocação, o que garantia seu Heptacampeonato. Mas quando falamos de uma corrida que era pra ser, tudo pode acontecer. Era pra terminar assim, com ele em 5º.

Mas há uma revolução a caminho. E a reviravolta começa a acontecer na volta 37, quando uma série de ultrapassagens muda todo o cenário da corrida: Hamilton segue avançando e ganhando posições, e nessa volta consegue alcançar e ultrapassar Perez, assumindo a primeira posição! Stroll assiste suas posições despencarem de primeira para a sexta posição. Que inversão!

Stroll vê a liderança ficar cada vez mais distante ao ser ultrapassado também por Sainz e Albon, indo parar na oitava posição. Era pra ser o fim de semana do Stroll, mas não foi.

Porque tínhamos um outro era pra ser na pista. Hamilton, com sua trajetória na Fórmula 1, era pra ser o Heptacampeão. Era pra ser ele e isso, nesta corrida ou na próxima, era fatal que acabaria acontecendo. Seu brilhantismo e talento levaria esse rapaz muito longe, com certeza. E era pra ser o domingo do Heptacampeonato, numa corrida de recuperação, para ganhar “no braço” o primeiro lugar e confirmar mais uma vez o que já sabemos: talento ele tem de sobra e é heptacampeão com todo o merecimento.

Você pode estar aí se perguntando que texto é esse…  Que resumo de corrida foi esse, minha senhora? Mas saiba que é texto de mãe, que descobriu muito cedo que a filha gostava de ver os carros correndo no domingo cedo e recuperou com a filha aquele momento de infância de assistir corrida com seu pai.

Minha filha, hoje com 6 anos, assiste corridas desde os 2, quando gostava mesmo era de curtir o barulho dos carros e perseguir o vermelho pelas pistas. Ela não entendia ainda que tinha que esperar a próxima corrida, que não ia ter outra na segunda feira. Mas seguia torcendo pelo carro vermelho.

Depois da minha filha, conheci meu namorado, que é louco por Fórmula 1, tive a chance de assistir corridas históricas pessoalmente e, com isso, a família ficou completa. Sofá com 3 lugares é disputadíssimo no domingo. Quando demoro pra chegar no sofá, os dois já estão sentados me chamando porque já vai largar. Dá aquela sensação de estar no caminho certo.

Agora, Stela já pergunta onde e quando será a próxima corrida, torceu ano passado pelo Leclerc (que a gente brincou ano retrasado que se chamava Zé Clerc, e não há o que mude isso agora) e esse ano sofre torcendo para o Bottas. Ela gosta dele. Ri com o piloto que virou verbo por aqui e resume a corrida com orgulho falando que o “cara deu uma Strollada enorme, mãe”. Vi o espanto dela quando descobriu que ele largaria em primeiro.

Daqui, com meu saudosismo sempre presente, continuamos mostrando pra ela as corridas do Senna, assistindo reprises de grandes momentos da categoria e vendo ela vibrar como se fosse ao vivo.

Por vezes, durante as provas a gente tem que explicar algo para a Stela, e algum momento pode passar batido, mas sigo aqui, feliz e orgulhosa de ver os olhinhos dela brilhando.

A corrida era pra ser narrada por um dos grandes colunistas que escrevem para o gepeto, mas como algo de inesperado sempre acontece… Desta vez não foi.

Carolina Figueiredo

6 Comments

  1. Carlos Chiesa disse:

    Desculpe o atraso mas quero registrar: sua estréia enriquece o GP Total. Quando é pra ser…

  2. Lucas Giavoni disse:

    Ótimo texto de estreia, Carol!

    Fantástico ter na criança aquele mesmo olho brilhando da minha infância. Faz a gente ter um tiquinho de esperança que os mais novos também vão gostar disso tanto quanto gostamos.

    Obrigado pelo relato, isso alegrou meu dia.

    Abração e bem-vinda!

    Lucas Giavoni

  3. Seja bem vinda Carol !!!

    Marcelo C.Souza
    Dias D’ávila-BA

  4. Fernando Marques disse:

    Carol

    seja bem vinda!!!
    Até que enfim temos uma colunista de novo aqui no GEPETO.
    Gozado o Ze Clerck!!!


    O GP da Turquia já desde os treinos prometia ser uma loteria em termos de resultados, seja para os treinos classificatórios, seja para a corrida … detalhe com chuva ou sem chuva devido ao asfalto novo … ( taí a solução para a Formula 1 ser emocionante, nada de chuva ou inversão de posição de largada, o negocio é um asfalto liso e sem aderência) …
    E assim foi … Lance Stroll na pole … Hamilton em sexto …
    agora na hora em que Hamilton se viu em condições de definir o rumo da corrida a seu favor ele mostrou por que sobra na turma e merece ser hepta campeão … não fez as bobagens, por exemplo que o Verstappen fez (alias que rodada espetacular dele atrás do Peres) quando precisou decidir alguma coisa a seu favor … creio que isso mostra o quanto Hamilton sobra nas pistas … quando menos se esperava ele deu as caras na corrida e mostrou a força de seu conjunto na hora certa …
    Os carros da Racing Point conseguiram impor um bom ritmo a corrida quando chovia … depois caiu de rendimento e cheguei a achar que poderia ser o dia do Albon que chegou muito rapido no Perez … engano meu pois após algumas poucas tentativas ele não conseguiu passar o Perez e ficou pra trás … me chamou a atenção a forma rápida de como ele tirou a diferença para o Peres, pensei se passar e continuar assim engole o Stroll também … Albon teve sua melhor chance de limpar a sua barra na RBR …


    Salve Lewis Hamilton!!!

    Fernando Marques
    Niterói RJ

  5. Mauro Santana disse:

    Que relato legal, Carol!

    Seja bem vinda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *