Geração 7

Brasil na Pista
17/05/2021
Iogurte e maionese
24/05/2021

Olá, amigos!

No dia 5 de maio, a Nascar apresentou para o público os novos carros da categoria principal, a chamada geração 7. Com o objetivo de diminuir os custos para atrair novas marcas, aumentar a segurança, melhorar o pacote aerodinâmico, aproximar o carro da pista dos carros comercializados ao público e garantir maior segurança aos pilotos, o lançamento trouxe as novas máquinas da Ford, com seu modelo Mustang, da Chevrolet e seu Camaro ZL1, além da Toyota com seu Camry TRD.

Os novos modelos deveriam ter estreado ainda no ano de 2021, na corrida de Daytona, porém com a chegada da pandemia em 2020, o uso destes foi postergado por um ano, semelhante ao que aconteceu com a F1 em 2021. O primeiro protótipo da geração 7 foi testado ainda em 2019, inspirado pelas novas regras aerodinâmicas do regulamento do ano. Desde então uma série de testes foi realizada para aprimorar o carro sendo que, em março de 2020, William Byron testou a terceira versão do carro, que era praticamente o modelo que temos hoje.

Mas quais são as principais diferenças dos novos carros em relação aos atuais? Algumas são bastante interessantes e outras, confesso, não gostei tanto. Vamos a elas.

– Câmbio sequencial de seis marchas, 5 para frente e 1 ré (essa eu não gostei)

– Rodas de liga leve com porca única (não gostei dessa também)

– Suspensão traseira independente

– Difusor traseiro maior

– Mais downforce mecânico

– Exaustores de escapamento bilaterais

– Entrada de ar no capô

– Posição do piloto um pouco mais à frente

– Freios maiores

– Splitter escalonado

Os motores permanecerão os V8 de 5.86 litros, mas os novos escapamentos já trazem um ronco bem diferente. Existem discussões sobre a possibilidade de a Nascar utilizar um motor híbrido a partir de 2024. As potências disponíveis, dependendo da pista, serão de 670 ou 550 cavalos.

Por se tratar de um desenho completamente novo, os engenheiros de segurança da Nascar puderam colocar materiais e estruturas mais resistentes, porém não mais pesadas. Isso garantiu uma maior eficiência na relação segurança x desempenho.

Aqui estão os novos carros da Nascar para 2022:

Os novos carros da Nascar trazem uma aguardada evolução tecnológica, renovando os ânimos da categoria na tentativa de aproximas os bólidos das pistas daqueles que os consumidores podem comprar nas lojas. Os objetivos são bastante claros para a organização da categoria, principalmente para atrair novas montadoras e atrair novos fãs, mas é preciso mais do que isso para garantir o sucesso da nova geração. Críticas já surgiram devido à utilização de rodas com porcas únicas, já que uma das partes mais legais das corridas é ouvir a pistola de ar retirando as 5 porcas de cada roda, um som extremamente característico da categoria. O novo carro vai permitir mais ajustes, o que também pode trazer bastante dificuldade para pilotos e chefes de equipe, principalmente em relação a suspensão traseira independente. Talvez nem os pilotos mais experientes vão ter vantagem, já que são carros completamente novos.

No fim do dia, o sucesso dos novos carros só poderá ser medido após algumas etapas distintas como ovais curtos, super speedways e circuitos mistos. Arrisco a dizer que somente após o primeiro ano as equipes e pilotos estarão totalmente habituados com todas as diferenças. Além disso, devemos observar se as corridas trarão emoção para o público, se os jovens vão se interessar, se os velhos fãs não vão se distanciar mais. É praticamente um tiro no escuro. Pode acertar o olho da mosca ou ir no sentido contrário, somente o tempo vai nos dizer se o novo regulamento foi bem-sucedido.

Falando um pouco sobre o momento atual da disputa, ainda com os (quase) velhos carros da geração 6, tivemos corridas muito boas e algumas marcas impressionantes. Martin Truex Jr. mostrando a que veio, vencendo três vezes no ano e ainda com uma corrida dominante na pista de Darlington, tendo liderado duzentas e quarenta e oito voltas de um total de duzentas e noventa e três.

Alex Bowman novamente trouxe o carro número 48 ao Victory Lane, vencendo na pista de Dover em uma corrida muito especial para o time de Rick Hendrick. Os quatro carros da organização chegaram nas quatro primeiras colocações com Bowman puxando o pelotão composto por Larson, Elliott e Byron. Esse feito impressionante mostra o quanto o time vem trabalhando forte nos bastidores.

Apesar do desempenho do time, Elliott, o atual campeão da categoria, é o único dos pilotos da Hendrick que ainda não venceu. Ainda que ele esteja se garantindo nos playoffs por sua pontuação, não deve estar totalmente tranquilo pelo fato de todos os seus companheiros já terem vencido no ano.

O calendário traz novidades para a sequência do campeonato com a prova disputada no circuito de COTA, no Texas. Com suas subidas e descidas, curvas de alta e baixa, além de uma longa reta, a disputa promete ser emocionante.

Outros pilotos que ainda não colocaram seus carros no victory lane esse ano são Denny Hamlin e Kevin Harvick, simplesmente os maiores vencedores do ano passado. Hamling bateu na trave algumas vezes, mas Harvick não conseguiu resultado melhor do que apenas um segundo lugar, em 2021. No ano passado o piloto do carro número 4 venceu incríveis nove corridas em todo o ano, enquanto Hamlin venceu sete provas.

É fato que Hamlin está mais próximo da vitória pois sua equipe venceu com os outros três carros, já a temporada da Stewart Haas está irreconhecível. Nenhum de seus pilotos chegou próximo da vitória em nenhuma das treze provas disputadas até o momento.

O que achou dos novos carros da Nascar? Sem dúvida são bem bonitos e parecem agressivos, vamos ver o que farão nas pistas.

Grande abraço!

Rafael Mansano

 

Rafael Mansano
Rafael Mansano
Viciado em F1 desde pequeno, piloto de kart amador e torcedor de pilotos excepcionais.

4 Comments

  1. Wladimir disse:

    Bom dia a todos.
    Olhei a foto dos novos carros e logo lembrei do personagem Jackson Storm de “Carros 3”. Mesmo que você não goste do câmbio sequencial, Rafael, eu acho uma mudança bem vinda. Incrementa a agilidade de pilotagem e desgasta menos as mãos do piloto. Quanto às rodas de liga leve o maior risco pode ser a ocorrência de rachaduras pela fadiga que podem provocar estouros de pneus. Mas estou sempre aberto a réplicas.

  2. Mauro Santana disse:

    Olá Rafael!

    Rapaz, também não gostei da mudança na caixa de câmbio e porca central, isso me lembrou de uma coluna escrita pelo Edu anos atrás com o título Fundamentos, que era a respeito da F1, pra que a Nascar foi fazer essas mudanças!?

    Desnecessário!

    Abraço!

    Mauro Santana

  3. Fernando Marques disse:

    Rafael,

    Os carros estão bonitos … Mas confesso que ao olhar os carros, de frente um mustang, um camaro ou um Camry mas de lado todos são iguais eu acho estranho

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Rafael Mansano disse:

      Opa, Fernando.
      Eu quero ver mesmo com as pinturas oficiais, lado a lado na pista, pra ter uma ideia melhor.

      Abraço!

Deixe uma resposta para Rafael Mansano Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *