Respeito de campeão

Schumacher, o filme
20/09/2021
Microcosmos
27/09/2021

Olá, amigos!

Estamos nos aproximando do fim do ano, a expectativa aumenta para saber quem será o campeão da Nascar com os playoffs mais disputados do que nunca. A impressionante fase de Kyle Larson e da Hendrick continua com a vitória na última rodada da segunda fase de eliminação para as finais. Em Bristol, Larson se aproveitou de uma disputa entre seu companheiro Chase Elliott e Kevin Harvick, levando a vitória nas voltas finais do evento. Nessa corrida tivemos alguns acontecimentos que justificam o título dessa coluna. Vamos a eles.

A corrida se desenvolvia com disputas acirradas e alternância na liderança. Tivemos Hamlin, Elliott, Harvick, Truex e outros liderando a prova que eliminaria quatro participantes dos Playoffs postulantes ao título. Mais uma vez a corrida de eliminação se mostrou tensa do começo ao fim. Os eliminados foram Kurt Busch, que carregava a última, ainda que remota, esperança de título para a Ganassi antes dela se retirar da categoria, Tyler Reddick, Aric Almirola e Michael McDowell. Esses três últimos eram os que tinham menos chance de passar para a próxima fase, baseado no retrospecto do ano, ainda que Reddick tenha sido eliminado por apenas dois pontos. Kyle Busch e Christopher Bell tiveram problemas de furo de pneu nas voltas finais e por pouco se salvaram. William Byron também se salvou por pouco, mas fez uma corrida de recuperação e finalizou a prova na terceira colocação. Ao fim da prova os classificados para a rodada seguinte foram Larson, Truex, Hamlin, Blaney, Kyle Busch, Elliott, Bowman, Byron, Logano, Kaselowski, Chistopher Bell e Kevin Harvick. Dos doze classificados temos seis campeões na categoria principal.

Entre as equipes, Hendrick comprova a boa fase e coloca seus quatro carros na próxima fase, assim como a Gibbs, que demorou para engrenar, mas está mostrando sua força na hora que realmente importa. A Penske também colocou seus três carros na rodada seguinte e a decepção ficou por conta da Stewart Haas que, dos seus quatro carros, classificou apenas um.

A classificação de Harvick como lobo solitário da Haas tem outro agravante: ele não venceu nenhuma corrida esse ano. Lembrando que no ano passado ele foi o que mais venceu, levando nove provas para sua equipe.

Em Bristol podemos destacar dois acontecimentos que estão relacionados ao respeito de campeão que mencionei na coluna. Nas voltas finais da corrida, o atual campeão Chase Elliott estava em primeiro, sendo perseguido de perto por Harvick. Ao tentar a manobra de ultrapassagem, Harvick tocou em Elliott que teve um pneu furado, sendo obrigado a parar nos boxes e tomando uma volta do líder. Harvick estava na ponta, sendo seguido por Larson, mas Chase Elliott não estava nada feliz e resolveu mostrar para todos. O piloto do carro número 9 da Hendrick passou a correr nas linhas que Harvick estava usando, fazendo com que o piloto da Haas não conseguisse seguir em seu melhor ritmo. Larson se aproveitou da chance e ultrapassou o número 4 faltando apenas três voltas. Ao fim da prova, um furioso Harvick chegou aos boxes empurrando o carro de Chase Elliott, que prontamente desceu do seu carro aguardando a chegada de seu rival.

Harvick, ainda de capacete e com seus óculos, foi até o carro de Elliott para confrontá-lo, mas o jovem Chase não se intimidou. Segurou o adversário pelo capacete e com dedo em riste disse poucas e boas para um furioso Harvick. Nesse momento ele mostrou que não só está disposto a se defender na pista, mas que merece o respeito de campeão.

Em outros tempos, Harvick não iria para a conversa, chegaria empurrando e querendo briga. Mas ele não estava falando com qualquer um, e sim com o atual campeão da categoria. Nas entrevistas após a confusão, foi possível notar um amadurecido Elliott colocando sua posição de forma enfática: “Ele sempre faz isso, encosta do seu lado esquerdo e seu pneu é furado em alguns momentos. Se ele faz de propósito ou não, não importa, em algum momento é preciso definir um limite. Eu não me importo quem ele é e por quanto tempo faz isso, eu vou defender meu time e a mim”. A torcida foi ao delírio com a declaração enfática do campeão.

Do outro lado da disputa, Harvick disse que foi uma manobra covarde e que queria arrancar a cabeça de alguém. A torcida não estava a favor do piloto da Haas e o vaiou durante toda a entrevista.

O vencedor da prova Kyle Larson conquistou sua sexta vitória no ano. Para se ter uma ideia do feito, entre 2013 e 2020, Larson também teve seis vitórias. A fase é incrível e isso está fazendo o respeito pelo piloto aumentar a cada dia. Em uma declaração essa semana, o tricampeão Tony Stewart revelou que considera Larson um piloto único, chamando-o de unicórnio, dizendo também que se arrepende de não o ter contratado para seu time em 2020. Esse é o respeito de campeão que Larson está ganhando aos poucos, como fez Chase Elliott. Se o título de 2021 ficar com o piloto da Hendrick, ninguém vai dizer que foi sorte ou não merecido. Se não for esse ano, com certeza num futuro próximo teremos o piloto no topo da categoria.

Grande abraço.

Rafael Mansano

 

Rafael Mansano
Rafael Mansano
Viciado em F1 desde pequeno, piloto de kart amador e torcedor de pilotos excepcionais.

3 Comments

  1. Fernando marques disse:

    Rafael,

    Pelo visto uma nova geração está tomando conta vida Nascar.
    O que houve com a Ganassy?
    Sempre considerei uma das grandes equipes americana.

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Rafael Mansano disse:

      Oi Fernando, tudo certo?
      A Ganassi tomou a decisão de se retirar da categoria. Não tem muito detalhe sobre o ocorrido, mas desconfio que seja porque não estavam ganhando muita coisa por lá.

      Abraço,
      Rafael Mansano

    • Apesar de ser um time de ponta na F-Indy, a Ganassi é apenas uma equipe média na NASCAR.

      Marcelo C.Souza
      Dias D’ávila – BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *