Super Sic

Carros de outro planeta I
21/10/2011
Saudades
26/10/2011

Eu até pensei em deixar aqui uma mensagem de “descanse em paz”, mas acho que isso não é muito o que Simoncelli desejaria. Então desejo boa sorte e bom proveito nas corridas que venha a disputar em outra esfera da vida, onde outros, que já estão lá, devem estar aguardando sua chegada.

O mundo da velocidade passa por momentos difíceis e tristes. Uma semana após a morte de Dan Wheldon na Indy, agora foi a vez de Marco Simoncelli, o Super Sic (como era chamado na Itália) perder sua vida durante.

A morte de Simoncelli me comoveu e entristeceu mais. Não sei se pela imagem aterradora de seu corpo sem movimento estendido na pista ou pelo fato de, diferente de Wheldon, eu já ter entrevistado o italiano algumas vezes. Uma dessas oportunidades foi logo em seu primeiro treino na MotoGP, quando já estava anunciada sua subida de categoria, após correr nas 250cc. Foi no autódromo de Jerez de la Frontera, na Espanha. Assim como daquela vez, nas outras duas entrevistas que eu viria a fazer com ele, mostrou-se um cara “gente boa”, um moleque de 20 e poucos anos, com seu estilo próprio, cabeludão e levando a vida como deve ser levada, feliz.

Ele tinha a minha torcida desde então. Quando começou a ser criticado por outros pilotos nesta temporada, sobre suas manobras arriscadas, ousadas e perigosas, foi merecedor de mais torcida minha ainda – gosto dessas rebeldias, gosto da contramão da história. Pelo jeito, Simoncelli também gostava, afinal não é que deu muito bola ao que ouvia, e às reclamações que chegavam até ele.

Especialmente chocante no acidente, ele ter envolvido justamente o seu mentor, Valentino Rossi. Uma das duas motos que atropelaram Super Sic era a dele, a outra sendo de Colin Edwards. Os dois disputavam posição e não tiveram a menor possibilidade de desviar de Simoncelli, já no chão. Rossi tinha Marco como um irmão mais novo, um pupilo. E a própria Itália acreditava que Simoncelli seria o substituto de Valentino na MotoGP. Coisas inexplicáveis.

 

Separador

 

A morte na MotoGP nos leva a perceber mais uma vez o quanto ela ronda esses esportes perigosos, de que gostamos tanto. Se nos carros a carenagem que envolve o piloto preserva sua imagem em caso de acidente, nas motos, a imagem é explícita, dura, forte, sem máscara. A imagem de Simoncelli no chão ainda está na minha cabeça, mas é outra que quero guardar na lembrança. Quero lembrar da “briga” que ele tinha com aquele cabelo todo armado, sendo amassado pelas mãos, para que coubesse dentro do capacete. Sua imagem era o reflexo de sua irreverência, de seu jeito moleque de saber que essa vida é para ser aproveitada e curtida.

Eu até pensei em deixar aqui uma mensagem de “descanse em paz”, mas acho que isso não é muito o que ele desejaria. Então desejo boa sorte e bom proveito nas corridas que venha a disputar em outra esfera da vida, onde outros, que já estão lá, devem estar aguardando sua chegada.

Boas provas Super Sic!

Tiago Toricelli

[email protected]

Tiago Toricelli
Tiago Toricelli
Jornalista, autor de "Rally dos Sertões" e "Manual do Alpinista de Primeira Montanha". Já cobriu 12 temporadas de F1 (CBN) e acompanhou de perto as principais categorias da velocidade.

4 Comments

  1. Fatima A Derosso Chu disse:

    Depois que o Senna morreu nunca mais assistimos corridas de Formula 1, mas quando uma bela manhã o Supersic apareceu foi paixão à primeira volta, e tornamos a torcer e vibrar. Agora chega. Acabou. Nada mais de sorrisos, alegria, inconformismo, superação, cabelos cabelos cabelos.
    Voltamos aos domingos cinza.

  2. Alessandro Mesquita disse:

    URSO DO CABELO DURO,
    SUPER SIC,
    Obrigado por ter nos presenteado,
    com seu jeito muleque, pelo seu talento,
    por como você conduziu sua vida, levando sempre alegria e contagiando o mundo com felicidade.
    Deus o aguarda para outras corridas, abraços

  3. Fernando Marques disse:

    Me sinto tambem chocado inclusive pelo fato de ver que o capacete dele não resistiu ao choque e possivelmente este tenha sido a causa principal de seu obito …

    Fernando Marques

    Niterói RJ

  4. Leonardo B. Brantes disse:

    NÃO É DAR UMA DE BOSTÃO BUENO NÃO!!!
    MÁS QUANDO VI O ROSTINHO DO SIC,PELA PRIMEIRA VEZ ME DEU UM SENTIMENTO DE PENA!!! NÃO SEI O PORQUE!!! DEPOIS DE SUA DISPUTA C/ PEDROSA EU PASSEI A ACOMPANHAR SUAS PERFORMANCES,SEMPRE ÓTIMAS!! É SEMPRE ASSIM MESMO APARECE UM ESTILO UMA FORMA DE PENSAR DIFERENTES E ESTE MUNDO “F” DÁ CABO!!
    BEM!! ESTOU MUITO TRISTE!! O CABELUDINHO VAI FAZER MUITA FALTA
    VIDA TRISTE QUE SEGUE!!! ABÇS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *