Infeliz

A sangue quente
08/10/2014
A coisa ficou russa!
12/10/2014

Uma nova pista em busca de novos mercados. Mais uma vez a F1 insensível em um momento infeliz.

Por terrenos ainda não explorados. Pela vastidão Russa.

Uma nova pista em busca de novos mercados. Um Rússia moderna, aberta, empreendedora? Não, Putin não nos daria essa alegria. Com um pé no passado e em pé de guerra com a Ucrânia, nossos ‘amigos’ da F1 acreditam que o mercado precisa ser explorado a todo custo. Custo alto. No maior pesadelo logístico que a própria categoria se impos, uma linha de quase 8.000km a ser vencida após provas em Cingapura e Japão.

Mais uma vez nosso histórico campeonato ganha contornos inesperados e as atenções estão fora da pista. O que fazer para superar as Mercedes e impedir que novos casos como o ocorrido com Jules Bianchi aconteçam?

Do que acontece na pista sobra muito pouco para se comentar e chegamos à Russia.

Separador

O novo traçado Russo é uma pista semi-permanente. Aproveita o parque olímpico e suas belezas para sobreviver e conquistar o publico. Serão contornadas 18 curvas, com duas zonas de DRS disponíveis. A grande atração é a curva 3: a mais longa da temporada toda. É quase uma rotatória (balão, queijinho, adapte ao gosto da sua região). Aí mora um problema para os pneus. Muito esforço lateral durante muito tempo pode causar um desgaste excessivo, principalmente nos pneus mais macios.

Pela previsão dos simuladores a volta deve ficar na casa de 1m35s. Com a margem de erro (termo tão em voga nos dias de hoje) dos simuladores, podemos ter uma corrida de aproximadamente uma hora em meia em condições normais de temperatura e pressão.

Não esperamos grandes pontos de ultrapassagem, mas a vida sempre é facilitada pelo DRS. Comparando Sochi com outras pistas do calendário, em termos de setup, a pista deve estar mais próxima das configurações de Cingapura, com muitas curvas contornadas com velocidade entre 80 e 140 km/h.

Para a história da F1, Sochi pode ser marcante. Imagine uma vitória de um motor Ferrari? Seria a primeira vitória de um Ferrari-Turbo desde 1988! Mais uma dobradinha da Mercedes? Eles se aproximariam do recorde da Mclaren também de 1988.

Separador

Uma voltinha em Sochi
httpv://www.youtube.com/watch?v=88b7VqEeisc

Separador

Com todos esses predicados, por que a Russia veio parar no calendário?

Dinheiro obviamente. E um plano estatal de capitalizar com grandes eventos uma imagem de uma Rússia moderna e aberta.

A sequencia é interessante nesse planejamento do governo Russo. Olimpíadas de Inverno, Formula 1 e Copa do Mundo. é um grande investimento que o governo espera ter como resultado que o mundo tenha mais interesse em conhecer o país.

Fora o dinheiro, o que a Russia fez na F1? Pódio com Vitaly Petrov na Austrália em 2011. Pontos com Kvyat e 2 pontos como equipe, afinal de contas a Marussia agora é Russa.

Separador

Saiu a lista de competidores para o tradicionalíssimo GP de Macau de F3.

Algum piloto brasileiro? Nadinha.

Estamos bem.

Separador

httpv://youtu.be/I2Qh7NOYeck

Separador

Marussia passa por um momento difícil. Seu principal piloto e futura estrela do esporte está hospitalizado em estado gravíssimo. As notícias são escassas, mas o cenário não é nada animador. Esse é o ponto de vista humano da equipe.

No ponto de vista prático as coisas não estão melhores.

O time da GP3 não vai correr na Rússia. Exatamente, o time russo não vai correr na Rússia por problemas comerciais. Leia-se: grana.

O time da F1 poderia alinhar somente um carro. No último minuto indicaram Alexander Rossi, o piloto reserva que já havia feito dois treinos na F1, um em Montreal com a Caterham e outro em Spa já com a Marussia. Mesmo com essa indicação, ainda faltava a confirmação se o time iria correr com dois carros e o chefe da equipe, John Booth, continua no Japão acompanhando o estado de saúde de Jules.

Essa confirmação chegou poucos minutos antes do início dos trabalhos na sexta. A Marussia irá correr somente com um carro na Russia. O #17 de Bianchi ficará parado na box, esperando seu piloto voltar.

Separador

Quem lembra da chegada de Jules Bianchi no time russo?

Lá em longe, no distante ano passado, Bianchi foi oferecido ao time russo para o lugar de Luiz Razia. O piloto brasileiro, vice-campeão da GP2 em 2012, foi piloto do time por 23 dias. Seu contrato foi encerrado por “questões financeiras”, dizem que um dos patrocinadores não pagou a prestação do carnê-piloto. Mas Jules tinha o apoio da Ferrari, será que não foi uma simples escolha do cheque mais volumoso?

Separador

A semana continua agitada. A FIA aproveitou para revelar o traçado do circuito do Azerbaidjão.

Isso mesmo. Momento oportuno para anunciar o GP da Europa de 2016, não é?

O circuito não provoca suspiros, mas a cidade histórica de Baku, nas costas do Mar Cáspio, apresenta um cenário belíssimo. Um grande contraste entre a cidade antiga de Baku e os modernos prédios recentemente construídos.

Separador

O mercado de pilotos. Só a notícia de Vettel pegou todo mundo de calça curta. Parece que até o pessoal da Red Bull ficou sur

A ida para Ferrari agora aparece como uma vingança do time italiano contra Alonso. Américo Teixeira Jr e Lauda informam que Alonso está sim fechado com a McLaren apesar do silêncio ensurdecedor de ambas as partes. Mas a novidade é o fato que não foi uma opção de Alonso. Foi por pura falta de opção.

O asturiano foi bater na porta da Mercedes igual fez no ano passado com a Red Bull. A nova diretoria da Ferrari se “emputeceu” e resolveu convida-lo a se retirar. Nenhum resultado na Mercedes, portas fechadas na Red Bull, sobrou a McLaren ou ficar em casa.

Que situação! O bi-campeão parece que vai mais uma vez arruinar suas chances de título não pelo o que entrega nas pistas mas sim pelo comportamento nos bastidores.

Separador

Não viu o especial de 40 anos do Bi de Emerson no Facebook do GPTotal?

Acompanha lá, aqui o último post.

Separador

O tempo entre corridas não permite grande atualizações dos carros pelas equipes. Além disso os pacotes atualizados para Suzuka já contemplam Sochi e Austin.

Faltando 4 etapas Mercedes luta para manter a confiabilidade dos carros em dia e bater o recorde de dobradinhas em uma temporada. Hamilton está cada vez mais forte na busca do título mas está tudo em aberto. Com a pontuação dupla em Abu Dhabi, ainda há 125 pontos em jogo por piloto. Dá pra fazer uma festa.

A Ferrari vem destroçada. O carro é lento. O Alonso está de saída. Raikkonen não se entende com as reações adversas de setup da sua viatura. Acabou o ano da Ferrari e agora é juntar os cacos. Olhando os números do Alonso na temporada da pra entender a situação. Desde de 2009 esse é o ano que ele andou menos voltas na liderança: 32 das 832 que ele completou. E a posição com maior número de voltas completadas é a 5º posição. Essa é a dimensão real do potencial da Ferrari.

Na Williams e Red Bull a brigas está interessante. Os dois times tem feito um revezamento em quem vai liderar o resto do pelotão. No campeonato não há briga entre as duas, mas nessas 4 etapas restantes elas que vão garantir a diversão do grupo.

Mclaren e Force India fazem o duelo da parte de baixo da zona de pontuação. Separados por um mísero ponto a situação é delicada e vale alguns bons milhões. A diferença entre as posições gira em torno de US$10 milhões. A Force India tem menos chance nessa batalha, seu carro de 2015 precisará ser bastante diferente por conta da mudança no bico imposta pelo regulamento e o time já está focado no proximo carro. Para McLaren o caminho é mais simples, podendo manter muito do carro atual para temporada que vem. Além de haver mais dinheiro para desenvolver seus carros.

Para o resto do pelotão, Caterham, Sauber e Toro Rosso aguardam com alegria por 2015. Nada de muito novo. Sergey Sirotkin vai pilotar para a Sauber no treino livre e Roberto Merhi vai passear com a Caterham também no treino 1. Nada para se esperar desse grupo, no máximo algum lampejo da Toro Rosso para brigar pela parte de baixo da tabela de pontos.

A única com novidades é a Lotus. Finalmente confirmou que usará motores Mercedes a partir de 2015. Para não perder o bonde, dispensou os lubrificantes da Total e virá com Petronas. Vão mandar Grosjean embora?

Separador

Circuito: Sochi Autodrom
Voltas: 53
Comprimento: 5.848 km
Distância: 309.732 km
Recorde da Pista:

Separador

Programação
Sexta-Feira: 03h – 1º treino livre e 07h – 2º treino livre
Sábado: 05h – 3º treino livre e 08h – Classificação
Domingo: 08h – Corrida

Separador

Em um momento infeliz da categoria vamos para mais um novo “mercado”. A saga por mais dinheiro parece não ter fim e deixa cada vez mais a F1 distante de tudo aquilo que lhe tornou popular.

Que nesse momento infeliz surjam ao menos boas notícias de Jules Bianchi.

Boa corrida! Tous Avec Jules!

Abraços, Flaviz Guerra – @flaviz

Flaviz Guerra
Flaviz Guerra
Apaixonado por automobilismo de todos os tipos, colabora com o GPTotal desde 2004 com sua visão sobre a temporada da F1.

8 Comments

  1. Lucas dos Santos disse:

    Assisti ao treino livre e achei essa pista, que lembra o circuito de rua de Valência, meio “chatinha”.

    Vou tentar assistir à corrida GP2 neste sábado para ver como é uma corrida por lá. Aí já poderei formar uma opinião mais concreta sobre o circuito russo.

  2. Mauro Santana disse:

    Um ótimo GP a todos!

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  3. Rodolfo César disse:

    A McLaren é a melhor opção para Alonso. O grande salto da Mercedes pra esse ano está muito ligada as mudanças do regulamento: novo moto (unidade de energia) implementada, novo designe aerodinâmico imposto… até ano passado era uma equipe média/alta, quase no mesmo patamar da Ferrari e atrás da RB, foi só a partir dos testes deste ano que foi possível constatar o salto que deram (Muitos disseram que a Ferrari era cotada pra dominar o ano por causa desses testes, que balela infeliz…).

    A única equipe que vejo com potencial de “abalar” a hegemonia atual é McLaren, com os motores Honda e a contratação de um dos principais projetistas da RB. Se o projeto for bem desenvolvido terá chances de brigar por muitas vitórias, quem sabe por título.

    Se nada na McLaren der certo, o que teremos em 2015? Inúmeras vitórias da Mercedes, algumas vitórias da Williams (Se conseguirem evoluir) e da RB, chance de pódios para Ferrari, Lotus (Com motor Mercedes quem sabe…) e McLaren. Vai mudar muita coisa do que ocorre esse ano? Alonso tem que jogar suas fichas, ficar na Ferrari não é solução e a McLaren é o principal foco de mudanças para categoria em 2015.

    Eu, particularmente, aposto em um bom ano para a McLaren.

    Abraços!

  4. Fernando Marques disse:

    Uma hipótese até agora não comentada: existe a possibilidade do Vettel ir para a Mclaren? … Se isto acontecer, como vai ficar o Alonso ? … Serias possível o Grosjean ir para a Ferrari? … Seria possível ter Vettel e Alonso na Mclaren? A Honda ia adorar …


    Pelas ultimas noticias do Julis Bianchi, creio que ele escapará com vida deste acidente … mas com relação as sequelas …



    Com relação ao circuito de Sochi, vamos aguardar a corrida …

    Fernando MArques
    Niterói RJ

    • Lucas dos Santos disse:

      Fernando,

      Creio que o Vettel já esteja certo para ir para a Ferrari. Ao menos foi o que o Christian Horner disse com todas as letras para a imprensa, no mesmo dia em que o Vettel anunciara que deixaria a equipe do energéticos.

    • Flaviz disse:

      Fernando, realmente o ‘negócio’ entre Ferrari e Vettel já é certo.
      Só não clima, motivo, pra festa de anúncio, além da redbull ainda contar com ele para ações de marketing.

      Também há o fato da TNT (energéticos aqui do brasil) ser patrocinadora da Ferrari. Não ia ser legal ver o Vettel sob contrato da Red Bull aparecendo em um evento da Ferrari.

      Abraços

  5. Ronaldo disse:

    Alguém considera a possibilidade de Alosno na Lotus, com os desejados Mercedes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *