Virando para a direita

No news, good news
16/08/2020
O Conto do Vigário 1
25/08/2020

Olá, amigos

Ao olhar o novo calendário de provas da Nascar neste conturbado 2020, fiquei pensando sobre os tipos de pistas onde teremos corridas esse ano e não pude deixar de notar a presença dos Road Courses, os famosos mistos.

A Nascar, uma categoria amplamente conhecida por correr em ovais, tem uma história bastante rica na utilização de pistas mistas, tendo sua primeira prova nesse tipo de pista disputada no ano de 1949, nas areias de Daytona Beach, num traçado que misturava a praia com as ruas de Daytona. Entre as pistas mistas que abrigaram ou ainda têm provas da Nascar, temos circuitos lendários como Watkins Glen, que recebeu a F1 durante muitos anos, Sonoma, Road America e Riverside, que também abrigou a F1, em 1960.

Ainda que as pistas mistas não sejam as mais reconhecidas nas disputas da categoria, é inegável a emoção que elas trazem quando são usadas para as corridas. Esse tipo de pista adiciona novas dinâmicas para as corridas, com um estilo totalmente diferente de pilotagem e, principalmente, nos ajustes dos carros. A preocupação com o balanço, a transferência de peso, a defesa de posição em uma freada, a própria eficiência dos freios, as constantes trocas de marcha, o controle do torque nas saídas de curvas de baixa, é tudo muito diferente dos ovais.

As altas velocidades dos ovais e as chegadas com diferenças de poucos milésimos são sempre emocionantes, mas agora os convido a relembrar algumas das disputas mais acirradas nos circuitos mistos.

 

A primeira vitória de Chase Elliott na categoria principal da Nascar, contra Truex e com o combustível no limite.

 

Kyle Busch, Ambrose e Kaselowski numa disputa bastante nervosa e acirrada.

 

Hamlin x Truex x Kaselowski e um toque na última curva.

 

Tony Stewart, em seu derradeiro ano.

 

Jimmie Johnson x Truex na corrida inaugural do Roval, em Charlotte, disputando a vaga para os playoffs.

Como essas disputas provam, as corridas nos circuitos mistos podem ser realmente tão emocionantes quanto as nos ovais.

Falar dos circuitos mistos e não falar sobre os vencedores, é contar metade da história. A lista dos pilotos que mais venceram nesse tipo de traçado não chega a surpreender, já que estamos falando de grandes talentos, capazes de ganharem em qualquer tipo de pista.

O maior vencedor nos traçados mistos é nada mais nada menos que Jeff Gordon, tendo conquistado nove vitórias nas pistas de Sonoma e Watkins Glen. Gordon é seguido de perto por Tony Stewart, o grande “Smoke”, com oito vitórias. A última vitória da carreira de Tony veio em Sonoma, em 2016.

“The King” Richard Petty, do alto de suas 200 vitórias, não poderia estar fora dessa lista. O sete vezes campeão venceu seis provas em circuitos mistos. Empatado com Petty estão Ricky Rudd, Bobby Allison e Rusty Wallace. Só nomes de peso.

Dos pilotos atuais da principal categoria da Nascar, temos Kyle Busch, Martin Truex Jr. e Chase Elliott com quatro vitórias cada, Kevin Harvick tem duas provas vencidas, Kurt Busch, Jimmie Johnson, Clint Bowyer, Denny Hamlin, Joey Logano e Ryan Blaney possuem uma vitória cada.

Esse ano, a Nascar incluiu no calendário o traçado misto de Daytona, o mesmo utilizado nas provas de endurance, as 24 horas. O desafio parecia grande o suficiente, já que poucos pilotos atuais disputaram as famosas 24 horas, mas para deixar tudo um pouco mais difícil, não houve treino ou classificação. Pilotos e equipes foram para a pista sem nenhuma experiência real, apenas realizaram testes no simulador. Claro que os simuladores de hoje são bastante fidedignos e servem muito bem para conhecer o traçado, os pontos de frenagem, os ajustes que fazem o carro andar bem sem desgastar muito os pneus e outros pequenos detalhes. Mas o simulador nunca é igual à realidade, então as coisas podem ser bem diferentes quando o carro entra na pista, e para alguns deve ter sido mesmo.

Na prova de Daytona, vimos grandes pilotos cometendo erros. Kyle Busch e Kevin Harvick não escaparam de rodar ou ter toques com outros carros. Mas também vimos grandes exibições de pilotos que sempre andam bem nos mistos. Truex esteve sempre andando rápido e Chase Elliott não só venceu, mas o fez com a tranquilidade de um dos grandes pilotos nesse tipo de traçado. Incrivelmente a prova não teve tantas bandeiras amarelas quanto se esperava, principalmente pela falta de experiência dos pilotos no traçado, mas a corrida teve muitas emoções e disputas. Foi uma boa estreia para esse novo circuito que entrou para a história da Nascar, sem dúvida.

Desde a criação da categoria, a Nascar disputou provas em dezenove pistas mistas, seja nas categorias principais ou nas de base. Algumas pistas já não existem mais, mas as que são usadas atualmente estão dando conta do recado. Ainda temos boas disputas e emoções suficientes que justificam esse tipo de pista no calendário. Eu sou fã dos ovais, mas não renego uma boa prova em um misto desafiador. Que assim continue por muito tempo.

Abraços

Rafael Mansano

 

Rafael Mansano
Rafael Mansano
Viciado em F1 desde pequeno, piloto de kart amador e torcedor de pilotos excepcionais.

5 Comments

  1. Fernando Marques disse:

    MArcelo,

    eu fui claro … tem muito braço duro na nascar em se tratando de circuitos mistos … não falei nos ovais …
    reconheço que a tarefa de dirigir “tanques de guerra” seja muito dificil, e que geralmente carro da Nascar é feito para andar em ovais …
    mas nos circuitos mistos em termos de pilotagem pra mim deixam muito a desejar …

    Um forte abraço

    Fernando Marques

    F

  2. Edu disse:

    Oi Rafael

    na minha última coluna (https://gptotal.com.br/19763-2/), falei de ideias loucas para a F1, entre elas a de tentar quebrar ou conter de alguma forma a curva de experiência.

    Lendo a sua coluna, vejo que o povo da Nascar já investe numa forma de atingir este objetivo: fazer a corrida sem treinos prévios, como aconteceu no misto de Daytona.

    E agora vejo no Motorsport.com que até as equipes apoiam a ideia da Fia de vetar testes, mesmo com carros antigos, nos autódromos recém-introduzidos na temporada 2020.

    De repente, é um caminho…

    Abraços

    Edu

  3. Fernando Marques disse:

    Rafael

    pelos vídeos, dá pra ver que tem muito braço duro na Nascar, em se tratando de circuito misto …
    mas gostei dos videos

    Fernando Marques
    Niterói RJ

    • Fernando

      Se você acha que os pilotos da NASCAR são braços duros, então experimente o NASCAR Racing 2002 (um excelente simulador da categoria que o Rafael com certeza deve conhecer) e perceba que guiar aqueles “tanques de guerra” é uma tarefa bem difícil, mesmo nos circuitos ovais.

      Marcelo C.Souza
      Dias D’ávila – BA

      • Fernando Marques disse:

        MArcelo,

        eu fui claro … tem muito braço duro na nascar em se tratando de circuitos mistos … não falei nos ovais …
        reconheço que a tarefa de dirigir “tanques de guerra” seja muito dificil, e que geralmente carro da Nascar é feito para andar em ovais …
        mas nos circuitos mistos em termos de pilotagem pra mim deixam muito a desejar …

        Um forte abraço

        Fernando Marques

        F

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *