Foto-legendas – Os F1 de Piquet – Final

Inanimados?
06/08/2023
Vantagem – Parte 1
17/08/2023

Quem acredita que a democracia é a melhor forma de governo (ou a menos pior, como me parece mais correto defini-la) não pode ter deixado de se decepcionar com Nelson Piquet e seu conúbio com o ex-presidente da República.

Como já assinalei aqui, sei que o ambiente do automobilismo é fértil ao pensamento conservador (sobre o qual não tenho nada contra) ou o desavergonhadamente reacionário. Emerson Fittipaldi apoiou o ex-presidente, mas não chafurdou com ele no mar de violência, discriminação, negacionismo, corrupção e reacionarismo como Piquet o fez, com aquela bazófia e falta de pudor de que é capaz.

Paro por aqui porque não creio que o jornalista tenha o direito de julgar alguém, muito menos se não ocupa cargo público. Sei que essa é uma noção fora de moda, mas acredito que este papel deva ser privativo da Justiça, na melhor tradição da democracia.

Acho que devia esta breve explicação aos leitores pela interrupção da série Foto-legendas, os F1 de Nelson Piquet, iniciada aqui https://gptotal.com.br/foto-legendas-os-f1-de-piquet-1a-parte/

BRABHAM BT 53 – 84

O carro é rápido – Piquet marca nove poles ao longo do ano – mas o motor BMW é muito frágil: quebrou nas seis primeiras provas do ano.

No final das contas, Piquet consegue apenas duas vitórias em 84 – Canadá e Estados Unidos – e um 2º lugar.

BRABHAM BT 54 – 85

O carro é bonito e elegante, mas a temporada é decepcionante: apenas uma vitória para Piquet, na França, e um 2º lugar, em seu último ano pela equipe Brabham.

Ele roda infinitas voltas ao longo do ano, testando os pneus Pirelli e ajudando a enriquecer Bernie.

WILLIAMS FW11 – 86

No auge da sua carreira, Piquet passa à Williams. Empurrada pelo motor Honda V6 turbo, a equipe prepara-se para se tornar dominante na categoria.

Mas a dominância prometida não acontece, e Piquet tem de encarar a dura oposição do companheiro de equipe Nigel Mansell, de Alain Prost, na McLaren, e de Airton Senna, na Lotus.

O campeonato é emocionante, um dos mais técnicos e disputados de todos os tempos. Mansell desabrocha, é indiscutivelmente o mais rápido e merecia o título, mas é alvejado pelo azar na prova final. Piquet tem de fazer um pit stop preventivo e o título acaba no colo de Prost.

Piquet termina o ano em 2º, com quatro vitórias: Brasil, Alemanha, Hungria (onde aplica em Senna aquela que é na minha opinião a mais bela ultrapassagem já vista no automobilismo) e Monza.

WILLIAMS FW 11B – 87

A superioridade do conjunto Williams/Honda é bem maior nesta temporada. Piquet e Mansell vencerão nove dos 16 GPs e Piquet somara nada menos do que setes 2os lugares, mesmo não tendo disputado o GP de Imola, por conta de um grave acidente nos treinos.

No final da temporada, o brasileiro apenas controla os resultados, sacramentando o título depois do acidente de Mansell no Japão.

O desgaste com a Williams é grande e mútuo, e Piquet vai pra Lotus, ocupando o lugar que era de Senna.

LOTUS 100T – 88

Poderia ter dado certo, mas não deu. O motor Honda não compensou as deficiências do chassi criado por Gerard Ducarouge. Tão ruim é o carro que surgiram até teorias conspiratórias. Imagino que Piquet gostou de espalhá-las.

Piquet terminou o ano sem vitórias e um 6º lugar no Mundial, com 22 pontos.

LOTUS 101 – 89

O pior estava por vir. Em 89, o motor do Lotus é um Judd V8. Um ponto especialmente baixo da temporada é o engavetamento no qual Piquet se mete, em Mônaco (foto acima).

Visivelmente desmotivado, ele marca apenas doze pontos na temporada, terminando em 8º e ainda amarga uma não qualificação para a largada do GP em Spa.

BENETTON B189B – 90

Piquet entende-se com Flavio Briatore e migra para a Benetton. Estreia com o modelo do ano anterior, equipado como motor Ford Cosworth, conseguindo um 4º lugar na estreia, nos Estados Unidos, e um 6º em Interlagos.

BENETTON B190 – 90

Nas demais corridas da temporada, Piquet ganha um novo modelo e vai somando pontos. Só não o faz em três de treze GPs que disputou com o modelo, incluindo as fantásticas vitórias no Japão (com Roberto Moreno em 2º) e Austrália (batendo Nigel Mansell nas voltas finais).

No final da temporada, Piquet festeja um surpreendente 3º no Mundial, ainda que distante de Prost e Senna.

BENETTON B190B – 91

Piquet inicia a sua última temporada na F1 com um modelo revisto, agora equipado com pneus Pirelli. Consegue um 3º e 5º lugares nos Estados Unidos e Brasil.

BENETTON B191 – 91

O carro de Piquet a partir de Imola não repete os bons resultados, ainda que tenha dado ao brasileiro a inesperada vitória no Canadá, após o abandono de Mansell nas últimas curvas da corrida. Mesmo assim, Piquet pontua em cinco dos 14 GPs disputados com o modelo, encerrando a temporada em 6º no Mundial.

 

Boa semana a todos

 

Edu

Aqui você confere os F1 de Emerson: https://gptotal.com.br/foto-legendas-os-f1-de-emerson/

E aqui, mais Foto-legendas:

Largadas! – https://gptotal.com.br/foto-legendas-largadas/

As joias de Mauro Forguieri – https://gptotal.com.br/foto-legendas-as-joias-de-mauro/

Viva Chaparral! – https://gptotal.com.br/foto-legendas-viva-chaparral/

Viva CanAm! – https://gptotal.com.br/foto-legendas-viva-canam/

Le Mans, desde 2000 – https://gptotal.com.br/foto-legendas-le-mans-desde-2000/

Le Mans, 81 a 99 – https://gptotal.com.br/foto-legendas-le-mans-81-a-99/

Le Mans – Os anos 70: https://gptotal.com.br/foto-legendas-le-mans-anos-70/

A saga do Ford GT40 em Le Mans: https://gptotal.com.br/foto-legendas-a-saga-do-ford-gt-40-em-le-mans/

As joias da Ferrari em Le Mans https://gptotal.com.br/foto-legendas-as-joias-da-ferrari-em-le-mans/

O Porsche 917 https://gptotal.com.br/foto-legendas-porsche-917/

Jim Clark https://gptotal.com.br/foto-legendas-jim-clark/

Legendas 1 https://gptotal.com.br/foto-legendas-1/

 

Eduardo Correa
Eduardo Correa
Jornalista, autor do livro "Fórmula 1, Pela Glória e Pela Pátria", acompanha a categoria desde 1968

1 Comments

  1. Fernando Marques disse:

    Edu,

    bela as fotos legendas …
    mas vou fazer uma crítica à sua coluna (espero que construtiva)
    Não sou e nem discuto politica … sempre passo batido e voto nulo … mas numa democracia há de sempre respeitar o direito de escolha de cada eleitor … e penso que o direito de escolha do Nelson nessas ultimas eleições também não vem sendo respeitados neste contexto …
    Se Piquet é de direita ou esquerda pouco me importa assim como se ele torce pro Vasco e eu pro Flamengo … o que me faz ter Nelson Piquet como ídolo foi pelo que ele que ele fez nas pistas … para mim o piloto mais completo da história da Formula 1. Sou Piquetista, nunca escondi isso aqui no GEPETO. Ele não foi Tri Campeão a toa e quem acompanhou a sua carreira desde o inicio, sabe muito bem que ele por exemplo jamais teve no seu inicio um apoio tipo o Senna teve (nada contra Senna por ter tido) e se virou sozinho nos 30 … Nelson Piquet, e gosto dessa posição dele, apenas quis ser feliz correndo nas pistas e foi feliz … e teria sido da mesma forma caso não fosse um vencedor como foi … Nelson Piquet possivelmente foi um dos últimos (se não o ultimo) piloto raiz na Formula 1 … e me orgulho de poder acompanhar sua carreira desde o seu início na Super V … sempre foi muito bom demais da conta …

    Show de bola a coluna
    Parabens mais uma vez

    Fernando Marques
    Niterói – RJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *